Links de Acesso

Gambianos procuram refúgio na Guiné-Bissau

  • Lassana Casamá

Bissau acolhe refugiados gambianos

Cerca de cinco dezenas, na sua maioria crianças e mulheres, fugiram do país com medo de um novo conflito.

A Guiné-Bissau está a receber cidadãos da Gâmbia que fogem da tensa situação política naquele país da África Ocidental

Cerca de cinco centenas de gambianos chegaram a Bissau e outras cidades guineenses na última semana com medo de um novo conflito no país.

Fatú Camará, uma das refugiadas gambianas, deixou o marido em Banjul e veio a Bissau com os seus cinco filhos.

Hospedada na casa de um familiar, diz que o mais importante é salvaguardar a vida dela e dos filhos.

Apesar de o marido lhe ter dito por telefone que o Presidente cessante terá aceite e os resultados, Camará revelou à VOA não acreditar.

“O meu marido me ligou ontem à noite, informando que Yahya Jammeh aceitou os resultados, mas nós não acreditamos nisso”, sublinhou.

Outra refugiada é uma adolescente de 19 anos.

Presidente cessante Yahya Jammeh nega deixar o poder
Presidente cessante Yahya Jammeh nega deixar o poder

Estudante, Vanusa está em Bissau, com mais quatro crianças e ansiosa por voltar à Gâmbia.

“O apelo que faço é para que (Yahya Jammeh) nos deixe estudar, pois nós somos o futuro daquele país”, pediu.

O medo e a insegurança continuam a dominar o quotidiano dos gambianos, de acordo com os refugiados.

"Muitas pessoas estão preocupadas porque qualquer que vestir a camisola de Adama Baró sujeita-se a sofrer uma agressão”, diz outro refugiado.

Mulheres e crianças representam a maioria dos gambianos que chegaram à Guiné-Bissau depois do início da crise política na Gâmbia, quando o Presidente cessante, Yahya Jammeh, recusou abandonar o poder, alegando fraude nas eleições de 1 de Dezembro.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG