Links de Acesso

"Os EUA são verdadeiramente um país em luto", diz Trump em Las Vegas

  • Redacção VOA

Trump e primeira-dama visitam hospital em Las Vegas

Presidente americano encontra-se com familiares das vítimas, feridos e autoridades em Las Vegas

O Presidente dos Estados Unidos encontrou-se nesta quarta-feira, 4, em Las Vegas com familiares das vítimas do massacre de domingo, autoridades, policias e bombeiros.

Acompanhado da primeira-dama, Melania, Trump visitou um hospital para conversar com vítimas e médicos que trabalharam no atendimento às atingidos pelo atirador.

O casal presidencial passou 90 minutos num encontro privado com as vítimas e suas famílias, sem cobertura da imprensa.

Ainda no hospital Trump cumprimentou médicos e responsáveis pelo primeiro atendimento no dia do ataque e agradeceu ao trabalho deles.

Agradecimento

Trump disse que conheceu "algumas das pessoas mais incríveis" e convidou alguns dos profissionais a visitá-lo em Washington.

"É de deixar qualquer um muito orgulhoso por ser americano quando vemos o trabalho que eles fizeram", comentou.

Trump reuniu-se ainda com policias, membros de equipas de emergência e cidadãos civis que ajudaram a socorrer vítimas no domingo, a quem também elogiou.

"Vocês mostraram ao mundo e o mundo está assistindo, e vocês mostraram o que é profissionalismo", sublinhou

Na sede da Polícia Metropolitana de Las Vegas, ele fez uma declaração à imprensa, na qual disse que "os EUA são verdadeiramente um país em luto".

Trump classificou o massacre como "acto de pura maldade" no primeiro discurso após o massacre.

Namorada diz desconhecer tudo

Nessa primeira intervenção, o Presidente não fez nenhuma referência a um aumento no controlo na venda de armas.

Nesta quarta, questionado por jornalistas, Trump voltou a evitar a discussão sobre controlo de armas e disse mais uma vez que este não é o momento apropriado para discutir a questão.

No domingo, 1, Stephen Paddock, de 64 anos, hospedou-se no 32º andar do Mandalay Bay, famoso resort e casino de Las Vegas, de onde tinha uma vista privilegiada para as 22 mil pessoas que participavam do Route 91 Harvest Festival.

Fortemente armado, ele terá disparado durante cerca de 9 minutos.

Centenas de vídeos feitos pelas pessoas que estavam no local e por câmeras de segurança estão a ser analisados pelos investigadores.

O atirador também instalou câmeras no corredor do hotel, possivelmente para conseguir acompanhar a aproximação de policiais na hora do ataque.

Também nesta quarta-feira, 4, a namorada de Paddock, Marilou Danley, começou a ser interrogada pelo FBI depois de regressar na terça-feira de Manila, onde se encontrava há duas semanas.

Ela disse que não fazia ideia dos planos dele.

Danley, de 62 anos, não é considerada suspeita, mas é tratada como uma “pessoa de interesse” no caso e vinha colaborando com a investigação por telefone desde o primeiro dia.

Os investigadores dizem continuar tentar descobrir as causas do massacre.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG