Links de Acesso

Escândalos abalam sindicato da educação


Zacarias Jeremias, secretário-geral do SINPETENU

Secretário geral acusa central sindical de ingerência

Seis membros de direcção do Sindicato Nacional de Professores e Trabalhadores do Ensino Não Universitário (SINPETENU) foram expulsos por comportamento indecoroso, falsas declarações e graves violações aos estatutos durante o II congresso extraordinário realizado na cidade de Malanje.

Escândalos abalam sindicato da educação - 2:19
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:19 0:00

Os mais de 100 delegados saídos de 15, das 18 províncias de Angola com excepção do Cunene, Huambo e Kuando-Kubango, afastaram o então vice-presidente, David Álvaro, o coordenador do conselho fiscal, José Daniel Américo Kissongo, o coordenador adjunto do conselho fiscal, Domingos Matos, o secretário para as relações internacionais e intercâmbio, Vitorino Matias, a secretária para Mulher, Fátima Menária e o secretário da comissão de fiscalização, José Manuel.

O secretário-geral da Central Geral de Sindicatos Independente e Livres de Angola (CGSILA), Jacinto João, disse que o SINPETENU disse que“ao longo dos anos desde a sua constituição ( o SIMPETNU parece não dar provas de ser uma organização sindical, mas um grupo de indivíduos querendo alcançar o bem viver, estar e pessoal e das famílias e enganaram a classe para uma causa obscura”-

O secretário-geral do SINPETENU, Zacarias Jeremias, não acatou bem a critica afirmando que a que a su organização poderá desvincular-se da CGSILA, caso este continue a imiscuir-se nos assuntos internos do sindicato.

“Estamos a falar da Central Geral de Sindicatos na pessoa do senhor presidente que tem estado a incentivar um grupo de pessoas para criar instabilidade, e nós gostaríamos de dizerque se a situação continuar o SINPTENU pode retirar a organização da CGSILA”, afirmou.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG