Links de Acesso

Donald Trump vai anunciar "nova estratégia para o Irão"

  • Redacção VOA

Donald Trump fala nexta sexta-feira

Parlamentares admitem que Presidente americano não abandonará o acordo, mas apresenta outra forma de lidar com Terrão

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anuncia nesta sexta-feira, 13, “uma nova estratégia em relação o Irão”, revelou a Casa Branca nas primeiras horas de hoje.

Ao contrário do que prometeu durante a campanha eleitoral e deu a entender nas Nações Unidas quando, em Setembro, disse ter tomado uma decisão que apontava para o abandono do acordo, o Presidente agora deverá voltar a criticar o documento, mas sem anunciar a saída dos Estados Unidos.

Ele, no entanto, segundo fontes da Casa Branca, poderá defender uma estratégia global contra o Governo de Terrão.

Parlamentares garantem queTrump ele não validará o que é conhecido como o Plano de Ação Conjunto (JCPOA) nem exortará o Congresso a aplicar mais sanções contra o Irão.

"Ele vai reiterar a sua total oposição ao acordo, mas não tomará medidas concretas para miná-lo ou abandoná-lo", disse o senador democrata Chris Coons, membro do Comité de Relações Exteriores, à cadeia televisiva MSNBC.

A Casa Branca acusa o Irão de tentar explorar as lacunas do acordo e de recusar que o organismo de vigilância atómica das Nações Unidas inspeccione as instalações nucleares em locais militares, comportamento que, para Trump, "não pode ser tolerado".

O Presidente vai pedir que o acordo seja “rigorosamente aplicado".

A política de Trump, no entanto, de acordo com as mesmas fontes, visa "a neutralização da influência desestabilizadora do Governo do Irão, visando restringir a agressão aos vizinhos, particularmente o apoio ao terrorismo".

Funcionários da Casa Branca admitiram que o objectivo visa "negar ao regime iraniano todos os caminhos para conseguir uma arma nuclear".

John Kelly, chefe de gabinete da Casa Branca, disse ontem a jornalistas que o Presidente vê mais longe e “e não é o único que pensa que o acordo, a médio e longo prazos, não protegerá a América".

Na quarta-feira, 11, o ministro das Relações Exteriores do Irão, Mohammad Javad Zarif, prometeu uma resposta "mais dura" se o Presidente americano acusar Teerão de não respeitar o acordo.

Um porta-voz militar iraniano prometeu ainda que as forças do seu país dariam "novas lições" aos Estados Unidos se necessário.

Na terça-feira, 10, a primeira-ministra britânica Theresa May telefonou a Donald Trump e pediu-lhe que pense cuidadosamente sobre as consequências da saída do acordo que ela considera "vital para a segurança regional".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG