Links de Acesso

COVID-19: China regista novo caso em Wuhan, cidade onde surgiu o primeiro caso da pandemia


Passageiros no metro de Wuhan, província chinesa de Hubei. Abril 2020

A China elevou o nível de risco epidemiológico num distrito de Wuhan no domingo, 10 de maio, após a descoberta de um caso de Covid-19, o primeiro em mais de um mês na cidade que é o berço da pandemia.

Essa grande metrópole de cerca de 11 milhões de habitantes, colocada no final de janeiro por mais de dois meses em quarentena, foi particularmente afetada pelo vírus, que infectou cerca de 83.000 pessoas no país e matou 4.633 vítimas, segundo os números oficiais.

Embora Wuhan não tenha registado nenhuma nova contaminação desde 3 de abril, um novo caso foi detectado na cidade, anunciou a Comissão Nacional de Saúde no domingo.

O indivíduo tem 89 anos e vive no distrito de Dongxihu, no noroeste de Wuhan, disseram autoridades locais, que informaram que o nível de risco epidemiológico neste distrito foi aumentado de "baixo" para "médio".

Wuhan é considerada uma área de "baixo risco" desde que a quarentena foi levantada em 8 de abril e a atividade está a ser retomada gradualmente.

Os alunos do ensino médio puderam voltar às aulas na quarta-feira - todos com uma máscara no rosto e respeitando rigorosas medidas sanitárias - após quatro meses de férias forçadas devido ao vírus.

Além do caso Wuhan, a China notificou no domingo 13 novos casos de Covid-19 no seu território. É a primeira vez desde 1 de maio que o país anuncia um aumento de dois dígitos no número de contaminações por dia.

A esmagadora maioria dos novos casos está localizada no nordeste do país, onde a cidade de Shulan também foi colocada em quarentena.

A China admitiu no sábado que a pandemia revelou "lacunas" no seu sistema de saúde e prevenção de doenças infecciosas. Essas palavras vêm no contexto das críticas do presidente dos EUA, Donald Trump.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG