Links de Acesso

Comércio transfronteiriço ganha espaço na economia moçambicana


Comércio nas ruas de Pemba

Mulheres dominam o sector que movimenta milhões de dólares

O comércio transfronteiriço, que está a emergir como uma prioridade significativa para o desenvolvimento da economia moçambicana, será tema de destaque na reunião do Banco de Moçambique que se inicia nesta quarta-feira, 24, em Lichinga, na província nortenha do Niassa.

Comércio transfronteiriço ganha espaço na economia moçambicana
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:49 0:00

Não existem dados fiáveis, mas estimativas apontam para mais de 200 milhões de dólares de exportações e cerca de 400 milhões de dólares de importações, feitas através do comércio transfronteiriço.

Estima-se que entre 70 e 80 por cento dos comerciantes transfronteiriços sejam mulheres, e que 90 por cento destas mulheres dependam deste comércio como única fonte de rendimento.

Uma recente pesquisa do Banco de Moçambique indicou que esse comércio decorre com alguma fluidez, com o metical a ter um papel importante, o que faz com que grandes quantidades da moeda moçambicana fiquem em bancos dos países vizinhos.

O debate sobre o comércio transfronteiriço vai ocorrer numa altura em que várias correntes de opinião defendem a tributação de operadores informais, tendo em conta o facto de que o país se encontra muito informalizado.

O presidente da Associação dos Pequenos Importadores, Sudecar Novela, não se opõe à tributação, mas queixa-se de esquemas de corrupção montados em alguns postos fronteiriços, que diminuem a eficácia do Imposto Simplificado para Pequenos Contribuintes.

Em províncias que fazem fronteira com estes países, dezenas de mulheres moçambicanas cruzam, diariamente, as suas fronteiras, transportando produtos diversos para comercialização.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG