Links de Acesso

Chuvas paralisam aproveitamento hidroeléctrico de Laúca, em Malanje

  • Isaías Soares

José Eduardo dos Santos na barragem de Lauca

Mais de 756 pessoas estão ao relento devido à destruição de 126 casas

As chuvas que assolam Malanje nos últimos dias paralisaram as duas fontes geradoras de energia no Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca ainda em construção no município de Cacuso.

As precipitações que atingiram 22 milímetros de altura destruíram a barreira e inundou a casa de máquinas.

Mais de 756 pessoas estão ao relento devido à destruição de 126 residências nos municípios de Calandula, Cangandala, Luquembo, Kambundi-Katembo, Malanje e Quirima.

A unidade 1 já entrou em funcionamento e a segunda deve ser restabelecida ainda nesta quarta-feira, 1, como confirmou o engenheiro de produção, Reno Santos Neto

“A gente construiu algumas barreiras provisórias para que a água não chegasse onde já estamos produzindo energia, mas com este caudal acabou por subir e a água atingiu a casa de força”, confirmou Neto, garantindo que “imediatamente accionamos as pessoas que estavam cá no canteiro, e imediatamente começamos as reparações para que o mais breve possível seja restabelecido a produção de energia e abastecimento”.

O Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca está a produzir neste momento menos de 250 megawatts de energia eléctrica para o sistema, menos que metade da capacidade das duas unidades geradoras, de acordo com o director do projecto, Elias Daniel Esteves.

A barragem hidroeléctrica de Laúca deve estar concluída em 2018 e deve produzir 2.070 megawatts de energia eléctrica.

Ainda em Malanje, as chuvas deixaram mais de 756 pessoas ao relento com destruição de 126 residências nos municípios de Calandula, Cangandala, Luquembo, Kambundi-Katembo, Malanje e Quirima.

Mais de igrejas, estabelecimentos comerciais, unidade policia e um anexo dos serviços de segurança do Estado foram destruídos pelas precipitações.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG