Links de Acesso

China: Xi Jinping promete 'reunificação' com Taiwan, mas adia força ameaçadora


Presidente chinês Xi Jinping na Praça Tiananmen, 30 de Setembro 2021

O Presidente chinês, Xi Jinping, prometeu este sábado realizar uma "reunificação" pacífica com Taiwan, embora não tenha mencionado directamente o uso da força após uma semana de tensões com a ilha reivindicada pelos chineses, que gerou preocupação.

Governado democraticamente, Taiwan está sob crescente pressão militar e política de Pequim para aceitar a sua soberania, mas Taipei prometeu defender a sua liberdade e que apenas o povo de Taiwan pode decidir o seu futuro.

Falando no Grande Salão do Povo de Pequim, Xi Jinping disse que o povo chinês tem uma "tradição gloriosa" de se opor ao separatismo.

"O separatismo da independência de Taiwan é o maior obstáculo para alcançar a reunificação da pátria mãe e o perigo oculto mais sério para o rejuvenescimento nacional", disse ele no aniversário da revolução que derrubou a última dinastia imperial em 1911.

A "reunificação" pacífica atende melhor aos interesses gerais do povo taiwanês, mas a China protegerá a sua soberania e unidade, acrescentou ele.

"Ninguém deve subestimar a firme determinação, a firme vontade e a forte capacidade do povo chinês de defender a soberania nacional e a integridade territorial", disse Xi. "A tarefa histórica da reunificação completa da pátria deve ser cumprida e será definitivamente cumprida."

Ele falou com menos agressividade, comparando com o seu discurso em Julho relativo a Taiwan, no qual ele prometeu "esmagar" qualquer tentativa de independência formal. Em 2019, ele ameaçou directamente usar a força para colocar a ilha sob o controle de Pequim.

A Força Aérea da China teve quatro dias consecutivos de incursões na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan desde 1 de Outubro, envolvendo cerca de 150 aeronaves, embora essas missões já tenham terminado. Xi não fez menção a esses voos.

Taiwan afirma ser um país independente chamado República da China, o seu nome formal. A República da China foi estabelecida em 1912 e o seu governo fugiu para Taiwan em 1949 após perder uma guerra civil com os comunistas, que fundaram a actual República Popular da China.

Falando pouco antes de Xi, o primeiro-ministro de Taiwan, Su Tseng-chang, observou que a China vinha "flexionando os seus músculos" e causando tensões regionais.

"É por isso que os países que acreditam na liberdade, democracia e direitos humanos, e com base em valores compartilhados, estão todos a trabalhar juntos e têm alertado repetidamente que a China não deve invadir Taiwan."

Taiwan marca a 10 de Outubro o seu dia nacional, quando a revolução anti-imperial começou na China, e a Presidente Tsai Ing-wen fará um discurso em Taipei no domingo.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG