Links de Acesso

Chefe da diplomacia angolana diz que prisão de José Filomeno dos Santos é um processo normal


Manuel Augusto (esq) com João Lourenço (dir)

Manuel Augusto acrescentou que se deve à nova dinâmica de rigor e prestação de contas"

O ministro das Relações Exteriores de Angola classificou de um processo normal o que levou à prisão preventiva o antigo presidente do Fundo de Desenvolvimento Soberano de Angola (FSDEA), José Filomeno dos Santos, e o director-geral da empresa Quantum Global, Jean-Claude Bastos de Morais, pelos crimes por burla, associação criminosa, corrupção, recebimento indevido de vantagem, entre outros.

Em declarações à VOA nesta terça-feira, 25, em Nova Iorque, onde participa juntamente com o Presidente João Lourenço na Assembleia Geral das Nações Unidas, Manuel Augusto disse ser “um processo judicial como acontece em todas as partes”, mas reconhece que “tem uma cobertura mediática devido, se calhar, às pessoas envolvidas”.

Exclusivo: Ministro angolano comenta detenção de José Filomeno dos Santos e de Jean-Claude Bastos de Morais
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:27 0:00

Sem se alongar muito porque, reiterou, está fora do país e não detém todos os dados, Augusto acrescentou, no entanto, que “tudo isto faz parte da nova dinâmica, onde o rigor e a prestação de contas serão elementos básicos”.

O filho do antigo Presidente José Eduardo dos Santos, que administrava um fundo de cinco mil milhões de dólares foi detido na segunda-feira, 24, por ordem da Procuradoria-Geral da República, juntamente com Jean-Claude Bastos de Morais, responsável da Quantum Global, que geria grande parte dos fundos do FSDEA.

Zenú dos Santos não pode pagar caução para aguardar julgamento em liberdade

Em comunicado, a PGR explicou que "da prova recolhida nos autos resultam indícios suficientes de que os arguidos incorreram na prática de vários crimes entre eles: associação criminosa, recebimento indevido de vantagem, corrupção, participação económica em negócio", crimes previstos e puníveis "pela Lei nº3/14 de 10 de Fevereiro - sobre a criminalização de infracções subjacentes ao branqueamento de capitais e aos crimes de peculato, burla por defraudação, entre outros".

"Zenú é bode expiatório, é Zédu quem devia ser preso"

José Filomeno dos Santos, conhecido por Zenú, está detido na cadeia de São Paulo, e Jean-Claude de Morais na prisão de Viana.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG