Links de Acesso

Cabo Verde: Sindicato quer explicação sobre o futuro dos trabalhadores de aeroportos e portos 


Antigo Porto de Pedra Lume, Sal, Cabo Verde

O Governo de Cabo Verde anunciou para breve a conclusão da privatização dos aeroportos e portos do país, mas o Sindicato dos Transportes, Hotelaria e Turismo (SITTHUR) diz que está agastado por não haver informação sobre o processo.

Carlos Lopes, presidente do SITTHUR, afirma que os trabalhadores estão apreensivos e clamam por informações concretas sobre o seu futuro laboral, após a concretização da privatização das empresas aeroportuárias e portuárias.

Cabo Verde: Sindicato quer explicação sobre o futuro dos trabalhadores de aeroportos e portos
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:46 0:00

O silêncio, diz Lopes, contrasta com a anunciada intenção do Governo em encetar diálogo com as diferentes estruturas no sentido de se estabelecer um clima de paz social e tranquilidade visando a retoma económica pós-pandemia.

"O diálogo social só é verdadeiro se houver o respeito e consideração por todas as partes presentes, - governo , empregadores e trabalhadores," diz o sindicalista.

Lopes não opina sobre a necessidade ou não da passagem das citadas empresas à gestão privada, por não possuir os elementos técnicos necessários, mas ressalta a importância de serem salvaguardados todos os direitos dos trabalhadores.

O processo em curso, no entanto, é alvo de críticas dos sindicatos que acusam o Governo de não prestar informações, enquanto o antigo presidente da Câmara do Comércio de Sotavento diz que não ser este o momento para a privatização daquelas estruturas.

Adiar a privatização

Mas o empresário e antigo presidente da Câmara do Comércio de Sotavento entende ainda não ser o momento para se avançar com a privatização de gestão da ASA e Portos, tendo em conta os efeitos da crise no funcionamento das mesmas.

Jorge Spencer Lima diz que se deve esperar pela retoma económica e a melhoria das empresas e a partir do próximo ano dar continuidade ao processo.

"Ainda estamos a viver efeitos da Covid, portanto do meu ponto de vista não é hora de se avançar com a privatização da empresa gestora de aeroportos" afirma Spencer Lima.

No que toca aos portos, Spencer Lima diz que "os únicos que rentáveis são os da Praia e Mindelo e eventualmente o da Palmeira com a retoma turística na ilha do Sal... os outros não são rentáveis (…) por isso devemos ter muito cuidado para não aumentar mais custos às pessoas e empresas".

A assessoria de imprensa do ministério das Finanças não respondeu ao pedido de comentário sobre o assunto.

Recorde-se que em 2017 o actual executivo, do MpD, anulou o concurso internacional para a subconcessão dos quatro principais portos de Cabo Verde, que tinha sido entregue ao grupo francês Bolloré pelo então governo liderado por José Maria Neves, actual presidente da república.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG