Links de Acesso

Cabo Verde recebe vacinas contra a Covid-19 dos Estados Unidos


Presidente americano, Joe Biden

Primeiro-ministro cabo-verdiano agradece Presidente Joe Biden, cuja Administração anunciou hoje o envio de 55 milhões de doses a vários países

Cabo Verde está entre os países que vão receber as 55 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, de um total de 80 milhões a serem entregues em todo o mundo pela Administração Biden.

Em nota, a Casa Branca anunciou nesta segunda-feira, 21, que 75 por cento dessas vacinas serão enviadas a países de África, com 10 milhões, América Latina e Caribe, 14 milhões, e Ásia, 16 milhões.

Os restantes 14 milhões de doses destinam-se a "prioridades regionais" e têm por destino Colômbia, Haiti, Afeganistão, Iraque, Ucrânia, África do Sul, Cisjordânia e Gaza.

O primeiro-ministro de Cabo Verde confirmou na sua página no Facebook ter recebido a “notícia da Administração americana que Cabo Verde foi incluído na lista dos países, um dos sete países africanos, que vão receber os donativos de vacinas dos EUA”.

Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde
Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde

"Aproveito para agradecer ao Governo americano, em especial ao Presidente Joe Biden e todos os outros envolvidos neste processo, incluíndo a nossa diáspora nos EUA”, escreveu Ulisses Correia e Silva, acrescentando que essa doação “vai nos ajudar a alcançar o nosso objectivo em vacinar 70% da população até final do ano".

Os restantes países africanos beneficiados são Egipto, Tunísia, Nigéria, Gana, África do Sul e Quénia.

O total de doses por países não foi revelado.

O Brasil também vai beneficiar-se das vacinas, através do consórcio Covax.

A secretária de imprensa da Casa Branca disse que o país “tem muitos suprimentos para entregar as 80 milhões de doses", mas Jen Psaki acrescentou que o maior desafio é a logística, "o facto de que não há um manual para levar as doses todos os países."

Há duas semanas, na cimeira do G7, o Presidente Joe Biden anunciou que a sua Administração vai comprar 500 milhões de doses de vacinas Pfizer que serão distribuídas a uma centena de países até meados de 2022.

Num comunicado, a Casa Branca reiterou que os Estados Unidos "não usarão as vacinas para garantir favores de outros países" e que os seus planos incluem o aumento da cobertura da vacinação a nível global, preparação para eventuais pandemias e ajuda aos "nossos vizinhos e outros países necessitados".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG