Links de Acesso

Cabo Verde e Estados Unidos preparam acordo em defesa e segurança

  • Alvaro Ludgero Andrade

Carlos Veiga, Embaixador em Washington

Embaixador em Washington continua ofensiva por um terceiro pacote financeiro do Millennium Challenge Account

Os governos dos Estados Unidos e de Cabo Verde deverão assinar em breve um acordo no sector de defesa e segurança que irá reforçar a capacidade do arquipélago em enfrentar no seu território, tanto em terra como na zona económica exclusiva, actividades criminosas, como o tráfico de drogas e de pessoas.

Este “ambicioso acordo”, segundo as autoridades cabo-verdianas, acompanha a ofensiva diplomática da Praia de conseguir um terceiro compacto do Millenium Challenge Account do Governo americano.

O embaixador cabo-verdiano em Washington, Carlos Veiga, reiterou ao representante do Departamento de Estado na recepção oferecida ontem para marcar o 42º aniversário da independência do seu país, aqui na capital americana, o empenho do seu Governo em concluir um ambicioso acordo de defesa e segurança.

Em conversa com a Voz da América, Veiga diz que neste momento falta definir apenas alguns detalhes sobre o “estatuto das forças militares que eventualmente estarão em Cabo Verde”, a ante-sala do acordo proposto pelo Governo do arquipélago há um ano.

“Temos um acordo de cooperação com os Estados Unidos em termos de segurança marítima, que vai muito bem, e queremos alargar essa colaboração em termos de defesa, do tipo que têm com o Senegal”, explica Veiga.

Millenninum Challenge Account

O antigo primeiro-ministro cabo-verdiano continua a ter como um dos pontos prioritários da sua agenda, uma forte ofensiva junto do Governo e do congresso americanos para conseguiu um terceiro pacote financeiro, conhecido como Millennium Challenge Account.

Carlos Veiga tem-se desdobrado em contactos com a Administração Trump e com legisladores, tais como os senadores democratas Elizabeth Warren, White House, Chris Koons e o principal conselheiro do senador republicano Marco Rubio, bem como o congressista Joe Kennedy.

“Tanto do Congresso como da Administração encontramos uma apreciação muito positiva de Cabo Verde na execução dos compactos, o primeiro foi excelente e o segundo está no mesmo caminho e, portanto, o problema não está aí”, diz Carlos Veiga, convicto de que caso venha a existir um terceiro programa “Cabo Verde está dentro”.

Refira-se que há dois anos, o Governo americano considerou Cabo Verde um “ancor state”, ou seja um parceiro privilegiado dos Estados Unidos em matéria de segurança em África.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG