Links de Acesso

Bolsa de Valores de Nova Iorque tem maior retracção desde 2011

  • Redacção VOA

Ecrã de televisão na Bolsa

Pessimismo no mercado financeiro americano influenciou as bolsas internacionais e a cotação do dólar frente às demais moedas

A Bolsa de Valores de Nova Iorque fechou em queda de 4,6 por cento nesta segunda-feira, 5, a maior retração diária desde Agosto de 2011.

O índice Dow Jones Industrial, o principal indicador do mercado, assim como os índices S&P 500 e Nasdaq caíram uma hora antes do encerramento da bolsa.

Os mercados financeiros reagem a uma eventual alta dos juros nos Estados Unidos, que afecta negativamente as bolsas de valores.

Nesta segunda-feira, os títulos públicos americanos com vencimento em 10 anos, os chamados Treasuries, tiveram uma alta de juros e atingiram o maior valor desde janeiro de 2014.

O pessimismo no mercado financeiro americano também influenciou as bolsas internacionais e a cotação do dólar frente às demais moedas.

O mercado financeiro internacional reflecte ainda os dados divulgados na sexta-feira passada, que mostram que os salários avançaram 2,9% em Janeiro, na comparação com o ano anterior, o maior aumento num ano registado em nove anos.

Esse número pode indicar que as pressões inflacionárias estão mais fortes nos Estados Unidos e influenciar as futuras decisões do banco central sobre a taxa de juros americana.

Um eventual aumento dos juros influencia negativamente o mercado de acções por dois motivos: o investimento em títulos americanos fica mais atraente quando o juro aumenta e o custo do crédito fica mais caro para as empresas quando o juro básico sobe.

Em nota divulgada após o encerramento dos mercados, a Casa Branca afirmou que o foco do presidente Donald Trump são "os fundamentos económicos a longo prazo, que continuam excepcionalmente fortes, com o fortalecimento do crescimento dos Estados Unidos, desemprego historicamente baixo e aumento de salários para trabalhadores americanos".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG