Links de Acesso

Autoridades policiais de Tete receiam alastramento de terrorismo 


Tete

…e prometem travar a imigração clandestina

A província de Tete, centro de Moçambique, face a um fluxo de imigrantes ilegais sem precedentes, reforçou a vigilância nos postos de controlo fronteiriço para evitar a situação de terrorismo que se vive em Cabo Delgado.

O porta-voz do Comando Provincial da Polícia de Moçambique em Tete, Feliciano da Câmara, diz que tudo está a ser feito para impedir que os insurgentes ligados ao Estado Islâmico alastrem os seus ataques armados àquela província, realçando que " esta é a maior preocupação que as forças policiais têm neste momento".

Feliciano da Câmara disse que foi reforçada a vigilância nos postos de controlo, ao mesmo tempo que se faz "a sensibilização das pessoas residentes em zonas fronteiriças sobre a necessidade de denunciarem a movimentação de pessoas estranhas, para impedir situações de insegurança como a que se regista em Cabo Delgado".

Ele assumiu que a imigração clandestina em Tete é muito preocupante e é facilitada por cidadãos moçambicanos corruptos.

Referiu que este ano já foram identificados pelo menos dez cidadãos "que se aliaram à rede de facilitação da imigração clandestina".

Mesmo assim, Feliciano da Câmara disse que este ano, o número de pessoas que entraram ilegalmente em Tete, diminuiu face a 2020. Nos primeiros seis meses de 2021, foram neutralizados 4.566 violadores de fronteira, contra 5.883 em igual período do ano passado.

Na vizinha província do Niassa, a polícia também reforçou a vigilância e diz ser fundamental a colaboração da comunidade na prevenção e luta contra o terrorismo, disse Alves Mate, chefe das Relações Públicas no Comando Provincial.

Moçambique: 64 etíopes morrem asfixiados em camião em Tete
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:34 0:00

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG