Links de Acesso

Autoridades e activistas "apostam" na agricultura familiar na Huila

  • VOA Português

Agricultores na Huíla

Camponeses de 224 cooperativas e 835 associações receberam sementes de milho, fertilizantes, charruas, carroças e gado para tracção.

No dia da abertura da campanha agrícola 2017 / 2018 em Angola, as autoridades da Huíla dizem-se apostadas em fazer investimentos no sector.

Para este ano estão mobilizados 605 mil hectares de terras e previstas a colheita de mais de um milhão de produtos.

O director da ADRA na Huíla e Cunene, Simione Chiculo, alerta para a necessidade de se começar a pensar na agricultura alternativa a de que sequeiro que depende das chuvas, face às alterações climáticas dos últimos tempos.

Para a realidade angolana, Chiculo entende que aposta na agricultura familiar deve ser prioridade mas lamenta que sido feito muito pouco.

«Felizmente os nossos parceiros do Governo também falam muito da agricultura familiar, mas temos que ter também a coragem de dizer que o que fizemos ainda é pouco e é esta agricultura que sustenta boa parte do país. Dos produtos que consumimos resultantes da agricultura feita em Angola boa parte vem da agricultura familiar”, disse Chiculo.

O governador da Huíla, João Marcelino Tchipingui, disse que o combate à fome passa pela agricultura e pelo envolvimento das famílias.

“A opção pela agricultura familiar será uma das nossas prioridades assim como a agricultura em grande escala da responsabilidade do sector privado. A indústria será um complemento para permitir a transformação dos produtos do campo e não só”, prometeu.

Para a campanha agrícola 2017/2018, camponeses de 224 cooperativas e 835 associações, na província da Huíla, receberam em Julho insumos agrícolas compostos por sementes de milho, fertilizantes, charruas, carroças e gado de tracção.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG