Links de Acesso

Aumento de mortes por violência doméstica preocupa na Huila

  • Teodoro Albano

Dezoito mulheres foram mortas pelos seus maridos

Província registou 20 casos em 2016.

Vinte mulheres morreram na província angolana da Huíla em 2016 vítimas de violência doméstica.

Deste número 18 foram mortas pelos próprios maridos, uma pelo namorado e outra pela acção violenta do filho.

Os dados foram avançados no Lubango pelo chefe do Departamento de Medicina Legal e Ciências Forenses do Serviço de Investigação Criminal (SIC) da Huíla.

António Pascoal revelou que os casos de violência doméstica correspondem a 35 a 45 por cento de todos os crimes cometidos na província e que o assunto é um problema a atacar face à tendência dos números.

“Se olharmos para a demografia da nossa província isso vai nos dar um rácio de 2, 9 de mulheres que morreram na cidade do Lubango vítimas de violência doméstica em cada cem mil habitantes, ou seja, a violência nas relações de intimidade vulgo violência doméstica acaba por ser um problema que nós temos que atacar. A média de idade destas pessoas que morreram varia entre 30 e 32 anos”, revelou Pascoal.

O médico legista junto do Serviço de Investigação Criminal na Huíla disse ainda que os casos aludidos minam a construção da paz social que se busca estabelecer e aponta uma acção concertada de todos no combate a violência doméstica.

“É preciso envolver outras forças não só as policiais, mas também os tribunais, a própria concertação social, os organismos não governamentais, as igrejas. Há um trabalho conjunto que tem que ser feito, mas tem que ser concertado”, concluiu o médico.

XS
SM
MD
LG