Links de Acesso

Aumenta a malnutrição na Huíla


O elevado registo de casos de malnutrição em crianças menores de cinco anos de idade em algumas unidades hospitalares da província da Huíla está a deixar preocupado as autoridades sanitárias locais.

Só no primeiro trimestre do corrente ano mais de quinhentas ocorrências de malnutrição deram entrada no hospital pediátrico do Lubango e no centro médico da Mitcha onde funciona uma unidade de tratamento de casos de malnutrição.

A porta-voz do hospital pediátrico do Lubango, a médica Gilberta Cassela, alerta para a gravidade do problema que leva em média ao internamento diário de uma criança.

«Esse é um problema muito grande na província da Huíla e em Angola”, disse acrescentando que na Huíla que “é o lugar onde vivemos, a realidade em particular aqui no município do Lubango (é que) tem estado a aumentar e quase todos os dias internamos pacientes com malnutrição».

A solução do problema na visão da médica é multidisciplinar e transcende o sector da saúde.

O elevado índice de pobreza entre muitas famílias que se repercute na dificuldade de aquisição de alimentos.

Há contudo também a influência de questões culturais em outras famílias apesar das posses, sustentam o surgimento de ocorrências.

«Há pessoas que vivem com uma renda muito baixa há pessoas que não têm a oportunidade de fazer as três refeições diárias e outros por exemplo que têm comida e não têm a percepção do quanto é importante a alimentação”, disse.

“Nós às vezes internamos pacientes que vivem nas zonas periféricas nas zonas rurais que têm a agricultura a fluir têm bois em casa têm ovos aparecem aqui com malnutrição», acrescentou

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG