Links de Acesso

Atores de Hollywood juntam-se a greve dos argumentistas


Greve dos actores em Hollywood, ao centro, a presidente do SAG-AFTRA, Fran Drescher
Greve dos actores em Hollywood, ao centro, a presidente do SAG-AFTRA, Fran Drescher

Os atores, desde as celebridades da lista A até aos que lutam para entrar na indústria do entretenimento, entraram em greve na sexta-feira, mergulhando Hollywood e a indústria cinematográfica e televisiva no que parece ser uma longa paragem de trabalho, a primeira de tal magnitude desde 1960, quando o ator e futuro Presidente dos EUA Ronald Reagan era presidente do Screen Actors Guild.

A direção da Screen Actors Guild-American Federation of Television and Radio Artists ordenou a greve na quinta-feira.

Os sindicatos de artistas e argumentistas exigem um novo contrato que tenha em conta as novas tecnologias - em especial o streaming de vídeo e a inteligência artificial - que já transformaram a indústria e que, ao que tudo indica, irão provocar ainda mais mudanças no futuro.

Os membros do SAG-AFTRA juntam-se aos membros do Writers Guild of America, que estão em greve desde maio, com exigências semelhantes para um contrato atualizado.

Do outro lado da disputa está a Alliance of Motion Picture and Television Producers, que representa os principais estúdios de cinema, serviços de streaming e outros meios de comunicação, incluindo a Amazon, a Apple, a Disney, a NBCUniversal, a Netflix, a Paramount, a Sony e a Warner Bros.

As negociações entre a aliança e o SAG-AFTRA foram interrompidas esta semana.

Fórum

XS
SM
MD
LG