Links de Acesso

Angola: Sindicato dos Jornalistas avança com conselhos de redacção


O Sindicato dos Jornalistas Angolanos está empenhado em criar a curto prazo conselhos de redacção em vários orgãos de informação como um dos meios para assegurar a liberdade de imprensa, disse o presidente do Sindicato dos Jornalistas Angolanos, Teixeira Cândido.

Cândido admitiu contudo que isso “não será uma solução cabal”.

“Vamos continuar a enfrentar problemas”, disse o sindicalista para quem os orgãos públicos de informação “têm que estar ao serviço de todos, não dos poderes públicos nem do governo”

Os jornalistas angolanos e não só consideram que a liberdade de imprensa tem vindo a ser restringida princialmente após o govenro ter assumido o monopólio da maioria dos principais órgãos.

Alguns membros da classe estão alarmados e destacam o facto do líder do maior partido na oposição nunca ter sido entrevistado por um órgão público de comunicação social depois de ter sido eleito pelos seus militantes

.A UNITA também manifesta-se preocupada com a partidarização da
comunicação social e, através de uma conferência de imprensa
recomendou a “reprivatização” urgente dos órgãos privados que passaram
para as mãos do governo.

A maioria dos profissionais da classe são unânimes em concluir que as
promessas feitas pelo presidente João Lourenço de garantia de uma imprensa livre e independente estão praticamente comprometidas, a julgar pelos mais recentes acontecimentos.

O alegado caso de corrupção que envolve o director do gabinete da
presidência da república, Edeltrudes Costa, que continua sonegado pelos órgãos públicos de comunicação social, explica bem para muitos o actual quadro da liberdade de imprensa, que, segundo dizem, volta a conhecer retrocessos significativos, bem à semelhança do regime de José Eduardo dos Santos.

Os casos de censura de que muito se fala a nível dos órgãos públicos
atingiu também a estação televisiva Tv Zimbo acusada de impedir a
análise do caso Edeltrudes Costa, no rubrica directo ao ponto,
conduzida pelo economista e jornalista Carlos Rosado de Carvalho.

Em comunicado a comissão de gestão da Tv Zimbo rejeitou, esta
semana, as acusações de censura que pôs fim a colaboração com Carlos
Rosado de Carvalho e assegura que mantém uma linha editorial “ de
abertura” que não cede a ameaças e a gritaria

Teixeira Cândido disse que os jornalistas angolanos estão agora em posição “mais vulnerável”, acrescentando que a liberade de imprensa “é estruturante para a democracia do país e por isso é um tema que não pode ser colocado de parte”.

Esta questão, disse,“deveria ser uma preocupação geral, de toda a sociedade” e não apenas dos jornalistas.

. Para falar sobre o assunto, ouvimos o secretário geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos, Teixeira Cândido, os jornalistas Rafael Marques e Celso Malavoloneke, e o analista político Olívio Kilumbo.

Censura contra a liberade em Angola -19:57
please wait

No media source currently available

0:00 0:19:57 0:00



Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG