Links de Acesso

Angola Fala Só - Teixeira Cândido: "Estamos a ensaiar a independência dos media"

  • Redacção VOA

Teixeira Cândido, secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos

Há "claras mudanças" nos media estatais, diz presidente do Sindicato dos Jornalistas Angolanos.

19 Jan 2018 AFS -Teixeira Cândido: "Estamos a ensaiar a independência dos media"
please wait

No media source currently available

0:00 1:00:00 0:00

Quando comparado com a Presidência de José Eduardo dos Santos há agora “claras mudanças” na política governamental em relação aos órgãos de informação, disse o secretário-geral do Sindicato Nacional de Jornalistas de Angola (STJ), Teixeira Cândido.

Ao participar no programa “Angola Fala Só”, Teixeira Cândido afirmou que desde a subida ao poder de João Lourenço os profissionais da informação “estão mais soltos, menos inibidos”.

“Os próprios órgãos de comunicação social já estão a esboçar tentativas para fomentar pluralidade de ideias”, acrescentou, fazendo notar noticiários da televisão pública em que todas as semanas se convidam elementos da oposição e artigos de opinião no Jornal de Angola da autoria de membros da UNITA, como aconteceu com Jardo Muekalia.

“Este é um ambiente de alguma esperança e de alguma expectativa porque o Presidente e o ministro da Comunicação Social têm-se estado a esforçar para abrir o sector da comunicação social, sobretudo o público”, disse o sindicalista.

"Estamos a ensaiar a independência dos orgãos de comunicação social", sublinhou Teixeira Cândido, para quem isto não é um sinal de uma independência.

Para o jornalista, essa independência “é ainda vulnerável”.

Teixeira Cândido fez notar que quem nomeia as direcções dos órgãos estatais é o dirigente do poder Executivo pelo que “quem nomeia pode exonerar como bem entender”.

“A independência dos órgãos de informação públicos depende da boa vontade do Presidente e do seu titular”, fez notar o dirigente do STJ para quem a nomeação de dirigentes dos órgãos de informação públicos deveria ser feita por uma “entidade independente”.

No programa, Teixeira Cândido defendeu que a luta pela liberdade de imprensa “deve envolver toda a sociedade”, pois "é uma luta na qual “ganham todos.”

Quanto à Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERCA), ele afirmou que continua a ser “um instrumento dos partidos políticos” já que os nomeados continuam a representar os interesses dos partidos que os nomeiam.”

Para o jornalista, isso faz com os membros da ERCA tenham “a tendência em depender mais dos interesses partidários do que dos interesses públicos.”

Em relação à questão dos salários, Teixeira Cândido recordou que a situação económica da imprensa privada é bastante má pelo que o sindicato quer negociar dois tipos de acordo colectivo de trabalho, um para os órgãos públicos e outro para os órgãos privados.

O sindicalista defendeu a atribuição de incentivos para os órgãos de informação de modo a reduzir os seus custos e permitir melhores salários para os jornalistas.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG