Links de Acesso

Analistas advertem para perigo de branqueamento de capitais com venda de acções da HCB

  • Ramos Miguel

Em causa a venda das acções de Hidroeléctrica de Cahora Bassa

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, anunciou recentemente que o Estado vai vender 7,5 por cento dos 92,5 por cento do capital que detém na Bolsa de Valores de Moçambique, para permitir a entrada de moçambicanos na estrutura accionista da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB).

Analistas advertem para perigo de branqueamento de capitais com venda de acções da HCB
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:42 0:00

Algumas correntes de opinião entendem que vender acções da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) a pessoas singulares no actual momento político em Moçambique, com a questão das dívidas ocultas não esclarecida, no que se refere à responsabilização e com processos de corrupção em tribunais, pode representar uma tentativa de lavagem de dinheiro.

Para alguns analistas, esta iniciativa governamental traz um outro debate, uma vez que o país "está numa situação anormal, em que está a endividar-se cada vez mais".

O académico Julião Cumbana considera que "com as dívidas ocultas não completamente esclarecidas e com pessoas não responsabilizadas, este processo de venda de acções da HCB pode ser lido como um esquema para a lavagem de dinheiro" .

"Neste momento questiona-se quem é que tem dinheiro para compar essas acções e como é que vai ser garantida a transparência nesse processo", interrogou-se Cumbana.

Ainda não foi revelado o valor que a empresa espera encaixar, mas o administrador da HCB, Manuel Gameiro, acredita numa grande procura das acções deste empreendimento, devido à solidez financeira e potencial de crescimento da empresa.

Gameiro afirmou que neste momento, "esta é a única empresa com um balanço robusto, com rendimentos financeiros positivos e, de forma constante, de ano para ano, é uma empresa com um balanço praticamente livre" de dívidas.

Para o analista Fernando Gonçalves, tendo em conta esta realidade, existe o potencial para a lavagem de dinheiro porque, na verdade, o grosso dos moçambicanos não tem dinheiro para comprar acções da HCB, mas há um grupo de pessoas com muito dinheiro, pelo que o processo de venda dessas acções tem de ser muito transparente.

Entretanto, outros analistas defendem ser urgente a venda dessas acções para que a empresa possa usar o dinheiro na reposição e modernização do seu equipamento em uso há 40 anos e na expansão da base de negócios.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG