Links de Acesso

Alemanha diz que a protecção na fronteira é 'legítima'


Fronteira entre Alemanha e Polónia

O ministro do Interior da Alemanha disse este domingo que é "legítimo" proteger as fronteiras, depois que vários estados da União Europeia (UE) pediram a Bruxelas para pagar por barreiras para impedir que migrantes ilegais entrem no bloco.

O apelo surgiu no início deste mês, quando a Polónia propôs a construção de um muro de 350 milhões de euros (410 milhões de dólares) na sua fronteira com a Bielorrússia para impedir a entrada de migrantes.

A UE acusa as autoridades bielorrussas de transportar migrantes do Médio Oriente de África para Minsk e, em seguida, enviá-los para o bloco a pé em retaliação às sanções impostas durante a repressão à oposição.

Questionado sobre se o muro da fronteira da Polónia era necessário, o ministro do Interior da Alemanha, Horst Seehofer, disse que proteger as fronteiras era justificável.

"Para nós é legítimo proteger a fronteira externa de tal forma que as passagens de fronteira não detectadas sejam impedidas", disse ele ao jornal Bild am Sonntag no domingo.

O aumento de pessoas que cruzam ilegalmente a fronteira oriental da UE com a Bielorrússia colocou grandes tensões sobre os Estados membros, não acostumados a lidar com chegadas em grande escala.

Seehofer também disse que a Alemanha aumentaria os controles na fronteira germano-polaca e que oito centenas de equipas policiais já haviam sido destacadas.

"Se necessário, estou pronto para reforçar isso ainda mais", disse ele.

De acordo com dados do Ministério do Interior alemão, cerca de 5.700 pessoas viajaram pela fronteira entre a Alemanha e a Polónia sem uma autorização de entrada desde o início do ano.

Seehofer escreveu ao seu homólogo polaco Mariusz Kaminski na semana passada para propor o aumento das patrulhas conjuntas ao longo da fronteira com a Polónia em resposta ao aumento do número de migrantes.

Kaminski respondeu que a Polónia ofereceria "total apoio" a tais medidas.

No entanto, Seehofer também disse na semana passada que a Alemanha não tinha planos de fechar a fronteira com a Polónia, acrescentando que tal medida também seria "legalmente questionável".

No início deste mês, autoridades de países como Polónia, Lituânia e Grécia discutiram sobre barreiras ao longo das fronteiras da UE para conter os esforços para transformar a migração em armas.

Até agora, Bruxelas evitou financiar paredes de fronteira para os Estados membros, insistindo que o actual quadro jurídico apenas permite o uso de fundos do orçamento da UE para "sistemas de gestão de fronteiras".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG