Links de Acesso

Activista da Lunda morre na Cadeia de Cacanda


Confrontos em Cafundo, Lunda Norte, 30 de Janeiro de 2021

Serviço Penetenciário aponta doença como causa da morte, mas secretário-geral do movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe admite envenenamento

Um activista do auto-proclamado Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe morreu neste domingo, 2, na Cadeia de Cacanda, cidade do Dundo, província da Lunda-Norte.

Militante das Lundas morre na prisão – 1:39
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:38 0:00

Desconhecem-se até ao momento as causas da morte de João Muamofia, que, segundo o secretário-geral do referido movimento estava preso sem nenhuma acusação formal e sem nunca ter cometido qualquer crime.

"Prenderam João Muamofia, sem nenhum crime, só assustamos no dia 2,com um telefonema do hospital a dizer ´venha buscar o vosso membro que morreu aqui no hospital”, conta Fiel Muaco.

Ele acrescentou que cinco activistas da organização morreram em cadeias daquela província desde 2009.

“Nós desconfiamos que tenha havido envenenamento, por isso é que alguns deles foram morrer em casa, mas esse e mais um outro, acabaram mesmo por morrer nas cadeias”, revelou Muaco.

O advogado Salvador Freire diz que as condições em que os presos ligados ao movimento são colocados são inapropriadas.

“A alimentaçao e o local em que são colocados são degradantes, não há medicamentos e isso leva muitos deles a morrerem”, afirma.

O Serviço Penetenciário da Lunda Norte aponta doença como a causa da morte.

Recorde-se que o líder do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe, José Mateus Zecamutchima, se encontra preso desde Fevereiro do ano passado.

O seu advogado disse à VOA na segunda-feira, 3, estar impedido de se avistar com ele e desconhece o seu paradeiro.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG