Links de Acesso

Blinken: EUA não têm estratégia para mudança de regime na Rússia


Antony Blinken, secretário de estado dos EUA

Comentários feitos um dia depois do Presidente Joe Biden ter dito, durante um discurso em Varsóvia, que Putin "não pode permanecer no poder"

O Secretário de Estado norte-americano Antony Blinken salientou no domingo que não é política da administração Biden procurar o derrube do Presidente russo Vladimir Putin.

Os seus comentários foram feitos um dia depois do Presidente Joe Biden ter dito durante um discurso em Varsóvia que Putin "não pode permanecer no poder".

"Penso que o Presidente, a Casa Branca, afirmou ontem à noite que, muito simplesmente, o Presidente Putin não pode ter poderes para travar uma guerra ou para se envolver em agressões contra a Ucrânia ou qualquer outra pessoa", disse Blinken no domingo em Jerusalém. "Como sabem, e como nos ouviram dizer repetidamente, não temos uma estratégia de mudança de regime na Rússia ou em qualquer outro lugar".

Durante os seus comentários de sábado na Polónia, Biden também declarou que a defesa do Ocidente da Ucrânia contra a invasão da Rússia é vital para proteger a democracia no mundo inteiro para as gerações vindouras.

"É nada menos que um desafio directo à ordem internacional baseada em regras estabelecida desde o fim [da] Segunda Guerra Mundial", disse Biden sobre a agressão russa.

Mas foram os comentários de Biden sobre Putin que causaram surpresa em todo o mundo.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse à Reuters: "Isso não cabe a Biden decidir". O presidente da Rússia é eleito pelos russos".

O Presidente francês Emmanuel Macron disse ao canal France 3 TV, domigo, "Eu não usaria essas palavras porque continuo a manter discussões com o Presidente Putin".

Julianne Smith, enviada dos EUA à NATO , disse no programa da CNN State of the Union, que os comentários de Biden foram uma reacção a passar o dia com centenas de refugiados ucranianos.

"No momento, penso que foi uma reacção humana de princípio às histórias que tinha ouvido naquele dia", disse Smith. "Mas não ... os EUA não têm uma política de mudança de regime na Rússia. Ponto final”

Os comentários do Presidente dos EUA em Varsóvia foram feitos pouco depois de se encontrar com o Presidente polaco Andrzej Duda e outros funcionários polacos para discutir a invasão russa da Ucrânia, uma vez que a Rússia parece ter deslocado a sua ofensiva militar da capital ucraniana de Kyiv para o leste do país.

Biden enumerou muitas das sanções financeiras devastadoras que as nações ocidentais impuseram à Rússia em resposta à sua invasão e não excluiu uma resposta militar se a Rússia utilizasse armas químicas na Ucrânia.

Falando no programa “State of the Union” da CNN, o senador Jim Risch, republicano no Comité de Relações Exteriores do Senado, fez eco dessas preocupações.

"Há aqui quatro mudanças de jogo. Isso poderia acontecer: se os russos tentassem invadir um centímetro quadrado de terreno da NATO, obviamente, armas químicas, armas biológicas, ou armas nucleares, todos estes quatro seriam mudanças de jogo. Penso que se a Rússia fizer isso, haverá algumas decisões muito difíceis que terão de ser tomadas pela aliança da NATO", disse Risch.

O Presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy apelou, domingo, ao Ocidente para fazer mais para apoiar a Ucrânia na sua defesa contra a invasão russa não provocada que entrou agora no seu segundo mês.

Num discurso em vídeo, Zelenskyy disse que o Ocidente está "com medo de evitar esta tragédia. Medo de simplesmente tomar uma decisão". Referindo-se à confusão e ao atraso em dar caças à Ucrânia, Zelenskyy disse: "Então, quem é o responsável pela comunidade euro-atlântica? Continuará a ser Moscovo, graças às suas tácticas de susto? Os nossos parceiros devem intensificar a sua ajuda à Ucrânia".

Reagindo aos comentários de domingo de Zelenskyy sobre a assistência ocidental, a enviada Smith disse no “State of the União” da CNN: "Os Estados Unidos, desde Janeiro do ano passado, já prestaram assistência jurídica à Ucrânia no valor de 2 mil milhões de dólares. Temos conversado regularmente com eles sobre as suas necessidades de defesa. Estamos a trabalhar com eles todas as semanas para determinar como podemos continuar a ajudá-los com equipamento antiaéreo, antiarmamento, oferecemos stingers, fornecemos sistema de mísseis anti-tanque, e muitos outros membros da aliança da NATO estão a fazer a mesma coisa. Penso que cerca de dois terços da aliança estão agora a prestar assistência jurídica à Ucrânia".

Smith disse que a proposta específica da Polónia de fornecer à Ucrânia jactos de caça MiG era "insustentável", mas disse que cabia a cada país soberano decidir como fornecer a Ucrânia para o esforço de luta contra a Rússia.

A Ucrânia e a Rússia estão preparadas para iniciar uma nova ronda de conversações para um cessar-fogo esta semana, segundo Davyd Arakhamia, líder no parlamento do partido Servo do Povo de Zelenskyy. Arakhamia disse no Facebook que as conversações seriam realizadas na Turquia a partir de segunda-feira. A Rússia disse que as conversações presenciais teriam início na terça-feira.

Olga Stefanishyna, a vice-primeira-ministra para a integração europeia e euro-atlântica da Ucrânia, disse domingo no programa da ABC "This Week" que a Ucrânia "nunca irá intensificar qualquer elemento de discussões que de alguma forma legitimaria todos os crimes de guerra que têm sido cometidos em território ucraniano".

Falando via telephone com jornalistas russos no domingo, Zelenskyy disse que a Ucrânia estava aberta à adopção de um estatuto neutro como parte de um acordo de paz, caso este viesse com garantias de terceiros e fosse submetido a um referendo. Ele não se pronunciou se a Ucrânia estava disposta a aceitar a desmilitarização como parte desse estatuto.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG