quarta-feira, 17 setembro, 2014. 03:30 UTC

Moçambique

Dom Tomé Makhweliha: As mulheres no altar, é uma afirmação sem fundamento

Dom Tomé Makhweliha disse não ter lido o livro "Igreja de Todos e de Alguém" do Padre Luzia

 Nampula
Nampula
Faizal Ibramugy
Arcebispo de Nampula Dom Tomé Makhweliha  diz que a frente que dentro da igreja católica de Nampula defende que tal como os padres, as irmãs católicas deveriam subir ao altar e poderem celebrar a eucarística tem em si um princípio de confusão.

Há alguns meses, o padre português, José Luzia Gonçalves, com mais de 40 anos de sacerdócio em Moçambique, lançou um livro, "Igreja de Todos e de Alguém" no qual defende a necessidade do reconhecimento e integração da mulher em acções pastorais. O padre Luzia considera que apesar do potencial existentes  nas mulheres como celebrantes, “hoje é apenas usada para animar as missas com danças”.


Falando à VOA à margem das cerimónias de celebração dos dois anos da Associação das Mamãs da Igreja Católica em Nampula,  Dom Tomé Makhweliha disse não ter lido aquele livro até ao momento e acha admirável que seja um padre a sustentar “ideias dessa natureza”.

“Dentro da igreja há pessoas que estão a reflectir sobre isso, a partir do próprio Papa. Se o Papa, os bispos e os cardeais mantêm essa posição, porque tem as suas razões”, disse o Arcebispo para depois explicar que “não é um padre que vai dizer que as mulheres devem subir no altar”.

O Papa nunca se pronunciou em volta do assunto e nunca nomeou mulheres para os cargos de Bispo e ou de Padre, porém “o mundo continua ansioso em vê-la e, de forma mais activa, à frente dos destinos da igreja”, tal como defende a obra do padre José Luzia.

“Se isso tiver que acontecer, será com certeza a partir de uma decisão universal colegial, a partir do governo central da igreja e não da cabeça de um padre, de uma irmã e ou de um catequista”, frisou o Arcebispo. 

Dom Tomé Makhweliha diz que a afirmação de que as mulheres devem subir Ao altar e celebrar é uma afirmação sem fundamento e “é simplesmente sinal de confusão na cabeça de alguém”.

Recorde-se que o livro “Uma igreja de todos e de alguém” criou controvérsia quando foi publicado e é bastante procurado em Nampula.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: António de: Suécia
04.12.2012 19:11
É muito estranho que o arcebispo de Nampula diga que não leu o livro. Seria porque razão?


por: Lazaro dos Santos de: Nairobi-Kenya
30.11.2012 17:46
E certo que o senhor Arcebispo esta a relacionar a Igreja catolica com um tunel que nunca viu a luz solar. Se nao estou em erro o senhor Arcebisbo nao tem um conhecimento profundo do Vaticano II, o que ao meu ver esta longe da realidade da Igreja Catolica para nao falar da inbudicao rumo ao Vaticano III.Eu afirmo que o autor do livro e um individuo com conhecimento Teologico e conhece muito bem a origem e o papel da Igreja Catolica inculusive a posicao dos seus membros. Eu sugeria que o senhor Arcebispo antes de bater o seu peito,dever pensar em que seculo e geracao estamos.Nao quero ofender mas temos que ler o tempo..e tempo ate de revermos a Bilia Sagrada e o termo ''IGREJA ROMANA''.

Galeria de fotos Campanha Eleitoral Moçambique - Partidos percorrem país

MDM, FRELIMO e RENAMO na corrida aos votos


Galeria de fotos Campanha eleitoral em Moçambique

Veja as imagens da campanha eleitoral da RENAMO, FRELIMO e MDM . Os moçambicanos vão votar no dia 15 de Outubro para escolher o presidente e membros do parlamento.

Manifesto Eleitoral do MDM

Manifesto Eleitoral da RENAMO

Manifesto Eleitoral da FRELIMO