segunda-feira, 30 março, 2015. 14:09 UTC

Moçambique

Moçambique: Corrupção e falta de fiscalização estão a acabar com florestas

A constatação é de um estudo agora publicado que conclui também que actividades ilícitas custaram ao país mais de 30 milhões de dólares em 2012.

Eduardo Ferro
A elevada procura internacional de madeira moçambicana, especialmente na China, está a fomentar o corte ilegal de árvores, contrabando e corrupção, além de privar o país de recursos importantes para o seu desenvolvimento.


A conclusão é de um estudo da Agência de Investigação Ambiental, AIA, com sede na Grã-Bretanha, que acrescenta que aquelas actividades custaram a Moçambique mais de 30 milhões de dólares só no ano passado.

“Apesar da proibição parcial do corte de espécies protegidas, o comércio ilegal de madeira com a China está a debilitar seriamente a gestão das florestas e os esforços do governo de Moçambique na aplicação das leis correspondentes, estimulando também a corrupção”, conclui aquele estudo.

A investigação da AIA em Moçambique incluiu uma série de reuniões secretas com companhias relevantes do sector madeireiro de Moçambique. Numa delas, um dos responsáveis confirma que a sua companhia é uma das poucas que ainda é capaz de exportar ilegalmente grandes volumes de madeira de 1ª classe para a China. “É só uma questão de preço”, disse o responsável à equipa de investigação da AIA.

Os autores do estudo concluíram que cerca de metade das exportações de madeira moçambicana para a China são ilegais e culpam tanto as autoridades chinesas como moçambicanas pela situação actual.

Em declarações à VOA o investigador da AIA, Chris Moye acusou mesmo o actual ministro da agricultura moçambicano, José Pacheco e o antigo titular da pasta, Tomás Mandlate, de estarem envolvidos em actos de corrupção relacionados com o sector madeireiro.

Falamos também com a Vanessa Cabanelas da organização ecológica moçambicana Justiça Ambiental sobre o abate ilegal de árvores em Moçambique. Também para ela, é essencial combater a corrupção e aumentar significativamente as operações de fiscalização através do país.

A VOA tentou obter sem sucesso obter uma reacção do ministério moçambicano da agricultura ao relatório da Agência de Investigação Ambiental revelando que a corrupção e a falta de fiscalização estão a acabar com as florestas moçambicanas.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Taverna medieval revive lutas entre cavaleirosi
X
30.03.2015 07:28
As artes marciais europeias não são muito praticadas ou conhecidas pela maioria das pessoas, mas uma taverna em Washington quer mudar essa situação. Combinando artes visuais, marciais e culinárias, a taverna traz a história medieval de volta à vida.
Vídeo

Vídeo Taverna medieval revive lutas entre cavaleiros

As artes marciais europeias não são muito praticadas ou conhecidas pela maioria das pessoas, mas uma taverna em Washington quer mudar essa situação. Combinando artes visuais, marciais e culinárias, a taverna traz a história medieval de volta à vida.
Vídeo

Vídeo Passadeira Vermelha: Vin Diesel, Kerry Washington e Elton John no boicote sem boicote!

O episódio 8 da #PassadeiraVermelha da Voz da América está cada vez mais "quente"! Sabe quem é Darius Rucker? Vai querer ouvir a música dele e nós temos! O top 3 da música americana tem Bruno Mars que não tira o pé por nada, Ed Sheeran também firme e forte e uma nova entrada... é Darius!
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 27 Fevereiro 2015

As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Eleições na Nigéria - a 28 de Março 2015 decide-se!

A população da Nigéria vota nas eleições pesidenciais e parlamentares mais disputadas desde 1999. GoodLuck Johnatan enfrenta 13 candidatos na sua tentativa de reeleição. Seu principal adversário é Muhammadu Buhari, do Congresso de Todos Progressistas.
Mais Vídeos