segunda-feira, 27 abril, 2015. 05:35 UTC

Notícias / Angola

Deputado da UNITA agredido pela polícia

Isaías Samakuva acusa polícia de "mentira grosseira" sobre acontecimentos

Isaías Samakuva
Isaías Samakuva
Redacção VOA
A UNITA vai apresentar queixa junto da Assembleia Nacional pela agressão policial a um seu deputado.




O incidente deu-se no Sabado quando uma deelgação da UNITA pretendia visitar as populações desalojadas no município do Cacuaco em Luanda, levando consigo tres cisterna de água, roupa usada e alimentos.

Numa conferência de imprensa o dirigente da UNITA Isaías Samakuva  desmentiu nos termos mais enérgicos a versão da Polícia Nacional sobre a ocorrência e, e para dar sustento ao que relatava, mandou  exibir fotografias onde se viam efectivos de Polícia Anti-Motim e  um  helicóptero da corporação a impedir o acesso da delegação partidária à população desalojadas.

Ao longo da conferência de imprensa, foram   igualmente exibidas   imagens que retratavam a agressão física ao deputado Padro Katchiungo por parte de um agente da Policia e forma como a corporação frustrou     a visita partidária.

Isaías Samkuva acusou a polícia de "mentira grosseira" ao afirmar que não tinha sido informada da visita.

Segundo o dirigente da UNITA o seu movimento tem provas que a policia recebeu notificação atemnpadamente.

Aliás, disse Samakuva, ao estabelcer um forte aparato policial perto do local a policia revela que sabia da visita.

O líder da UNITA  disse que as autoridades impediram o acesso aos porque tinham algo na zona que o governo não gostaria que fosse visto e denunciado.

Sakuva criticou fortemente órgãos de informação que se limitaram a publicar a versão do governo e d a policia sobre os acontecimentos que ele disse serem mentiras.

"Se pessoas a este nível, se deixam instrumentalizar a
ponto de servirem como farrapos para limpar o lixo de Eduardo
dos Santos, então para onde vamos?

"Se pessoas a este nível, se prestam a este tipo de baixeza, então,
onde está a dignidade humana? Como podem esperar o respeito
dos cidadãos?," interrogou Samakuva
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Miguel Cassange de: Florida
27.02.2013 21:01
Quando esses individuos da UNITA tomarão juizo? Cometeram um montão de massacres ao povo aquando a guerra civil e agora querem desencaminhar o povo començando por aqueles que tem algumas dificuldades. Desde que o Governo do MPLA ganhou as eleiçoes este grupinho da UNITA não parou um só dia sem provocaçoes. Pouca vergonha deste Partido de Savimbi.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Passadeira Vermelha: Star Wars, Oprah Winfrey e filha de Whitney Houston acendem os holofotes!i
X
24.04.2015 16:24
O episódio 12 da #PassadeiraVermelha da VOA traz novidades da Oprah Winfrey, uns miminhos do Star Wars, daqueles bem bons e vamos ver quem rebentou o record de vendas de bilheteira de cinema das últimas semanas!
Vídeo

Vídeo Passadeira Vermelha: Star Wars, Oprah Winfrey e filha de Whitney Houston acendem os holofotes!

O episódio 12 da #PassadeiraVermelha da VOA traz novidades da Oprah Winfrey, uns miminhos do Star Wars, daqueles bem bons e vamos ver quem rebentou o record de vendas de bilheteira de cinema das últimas semanas!
Vídeo

Vídeo O Auxílio à morte nos Estados Unidos

Nos 18 anos da lei "Morte com Dignidade" no Oregon, cerca de 750 pessoas terminaram suas vidas com drogas letais. O medicamento também pode ser prescrito no Estado de Washington, Novo México, Vermont e Montana. Uma paciente terminal abriu o debate a outros estados
Vídeo

Vídeo Xenofobia na África do Sul

Na semana passada, a África do Sul foi tomada por ataques contra estrangeiros que moram no país. Alguns dizem que os ataques são culpa do legado do colonialismo, outros dizem que são problemas económicos da nação. Independentemente da causa, sul-africanos rezam pelo fim da violência.
Mais Vídeos