segunda-feira, 01 setembro, 2014. 07:36 UTC

Notícias / Mundo

Países do BRICS vão criar banco rival do Banco Mundial

O capital inicial de 50 mil milhões de dólares é ligeiramente inferior aquilo que a China já empresta, todos os anos, aos países pobres e igual à média anual de empréstimos do Banco Mundial.

Presidentes do BRICS (da esquerda para a direita, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) durante a cimeira do ano passado em Nova Deli.
Presidentes do BRICS (da esquerda para a direita, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) durante a cimeira do ano passado em Nova Deli.

Multimédia

Áudio
Redacção VOA
Numa cimeira na África do Sul as novas económicas emergentes vão formar o seu próprio banco. Por entre uma crise económica provocada pelas potências tradicionais, os BRICS – Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul – acreditam que essa nova instituição lhe daria maior voz na economia mundial.

A África do Sul encarou sempre com alguma suspeita o G8 – grupo das oito maiores economias mundiais. O grupo de nações do hemisfério norte determina o curso da economia mundial, diz a África do Sul, baseado nos interesses dos seus membros interesses esses que são impostos ao resto do Mundo.

Em 2010 a África do Sul juntou-se ao grupo conhecido por BRICS, na esperança de aumentar a sua influência internacional. Aqueles países (Brasil, Rússia, China, Índia e, agora, África do Sul) representam 20 por cento do PIB mundial (cerca de 18 biliões de dólares). A África do Sul, o único país africano do G20, rico em recursos minerais e com uma vasta economia em rápido crescimento, parecia um parceiro lógico para as restantes economias.

E em Março deste ano, organiza a cimeira dos BRICS, onde devem ser ultimados os planos para o seu próprio banco de desenvolvimento.

Anil Sooklal, do departamento sul-africano de Relações Internacionais e Cooperação, diz que a localização da sede do banco ainda não está decidida. Também não foi discutido o fundo inicial, mas Sooklal diz que deverá ser de 50 mil milhões de dólares e que 10 mil milhões por cada um dos cinco membros parece um montante confortável para todos eles.

“Devo notar também que há vontade política para ter este banco. Não há dúvidas a esse respeito – há vontade política de todos os países do BRICS, uma vez que nos bancos multi-laterais os fundos estão a secar e os bancos do norte têm os seus próprios problemas”, afirma o diplomata sul-africano.

Sooklal adianta que cada vez há menos capital líquido para investir e, actualmente, dois terços das reservas são dos países em vias de desenvolvimento e a maior parte desses dois terços são dos países do BRICS.

O capital inicial de 50 mil milhões de dólares é ligeiramente inferior aquilo que a China já empresta aos países pobres e igual à média anual de empréstimos concedidos pelo Banco Mundial.

A cimeira em Durban, no final de Março, deverá contar com 800 participantes (entre eles muitos empresários) dos cinco países do BRICS.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 29 Agosto 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
29.08.2014 18:11
As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 29 Agosto 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Ferguson olha para o Futuro

Um grande júri no estado de Missouri continua a ouvir testemunhos do caso que envolve a morte a tiro de um jovem africano-americano por um agente policial branco. O caso ocorreu no dia 9 de Agosto na cidade de Ferguson.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 28 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 28 Agosto 2014

As principais notícias que encerram a última semana do mês de Agosto, nos Estados Unidos
Vídeo

Vídeo Lei Russa Contra a Profanação

A Rússia promulgou em Julho uma lei que ameaça multar actos de profanação nos media, filmes, literatura, na música e no teatro. A restrição foi bem recebida por quem diz que a blasfémia está fora do controlo, outros rejeitam a decisão por considerarem tratar-se de paternalização e censura
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 27 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 26 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 26 Agosto 2014

Os principais títulos americanos na última semana de Agosto
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 25 Agosto 2014

As noticias de Africa em video
Mais Vídeos