Links de Acesso

Vontade política de combater tráfico de pessoas questionada em Moçambique


País continua sem um plano de acção contra o fenómeno que tem vindo a aumentar

A Procuradora-Geral adjunta da República de Moçambique, Amabélia Chuquela, diz que o órgão submeteu há algum tempo "ao Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos a proposta de um Plano Nacional de prevenção e Combate ao Tráfico de Pessoas".

Vontade política de combater tráfico de pessoas questionada em Moçambique
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:13 0:00

Diversos eventos, incluindo debates e palestras em algumas instituições públicas e escolas moçambicanas, assinalaram nesta segunda-feira, 30, o Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas.

Entretato, alguns analistas dizem que a falta de vontade política faz com que o país não tenha ainda um plano de acção nacional contra o tráfico de seres humanos, fenómeno que tem vindo a aumentar, particularmente na zona sul do país.

Em 2009, comoveu a sociedade o caso de três raparigas moçambicanas traficadas e abusadas sexualmente num cativeiro na África do Sul, cujo processo de recuperação demorou bastante tempo porque as meninas ficaram profundamente traumatizadas.

O advogado de defesa das três vítimas, Inácio Mussanhane, foi quem denunciou o que ficou conhecido como "caso Diana", nome da cidadã moçambicana que traficou e manteve no cativeiro as raparigas, e diz não perceber porque é que até hoje, Moçambique não possui plano estratégico contra este crime.

Refira-se que a traficante, cujo julgamento ocorreu na África do Sul, foi condenada a prisão perpétua.

"Há, claramente, falta de vontade política para combater este crime, que assume contornos muito preocupantes," lamentou o também jurista Abílio da Cruz.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG