Links de Acesso

Vice-presidente diz que não invocará 25ª emenda para destituir o Presidente Donald Trump


Mike Pence e Donald Trump (Foto de Arquivo)

Democratas avançam com projecto de impugnação do Presidente nesta quarta-feira

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, enviou no final da noite de terça-feira, 12, uma carta à presidente da Câmara, Nancy Pelosi, na qual rejeita invocar a 25ª Emenda para retirar Donald Trump do cargo após a invasão ao Capitólio na semana passada.

A resposta de Pence surgiu no momento em que o Congresso debatia um projecto dos democratas para pedir que ele invocasse a 25ª emenda.

"Não acredito que esse caminho seja o de maior interesse da nação e que esteja consistente com nossa Constituição", afirmou Pence na carta, em que, por outro lado, pediu que Pelosi e os outros congressistas "evitem acções que possam posteriormente dividir e inflamar as paixões do momento".

"Trabalhe connosco para reduzir a temperatura e unir o nosso país enquanto preparamos para empossar o Presidente eleito Joe Biden como novo presidente dos EUA", pediu o vice-presidente que, na carta, não se referiu ao processo de impugnação que os democratas querem mover contra Trump.

A 25ª emenda permite ao vice-presidente, com o apoio de maioria dos membros do Governo, destituir o Presidente por falta de capacidade física ou mental.

Impugnação

Com este posicionamento de Pence, os democratas começam a debater nesta quarta-feira, 13, um processo de impugnação de Donald Trump, como anunciaram no dia 8.

No texto, mais de 200 representantes democratas acusam o Presidente de "incitar a insurreição" ao discursar para apoiantes momentos antes da invasão de extremistas ao Capitólio no passado dia 6.

Seis pessoas morreram no episódio, incluindo um polícial que foi ferido no local, enquanto outro suicidou-se depois.

Durante a invasão, um grupo chegou a pedir a morte de Mike Pence por não ter interferido na certificação de Biden como Presidente eleito na sessão especial no Congresso que decorria naquela tarde.

Os democratas garantem que têm votos suficientes para aprovar a impugnação, mas no Senado, com apenas 48 dos 100 membros, terão muitas dificuldades em conseguir dois terços dos votos, que permitiriam o afastamento de Trump.

Caso o projecto de impugnação for aprovado na Câmara dos Representantes, Donald Trump será o primeiro Presidente a ser impugnado duas vezes na história.

Ele deixa a Casa Branca no dia 20, quando Joe Biden toma posse.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG