Links de Acesso

Vídeo do Presidente brasileiro com informação falsa é retirado do Facebook e do Instagram


Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro fala a apoiantes em São Paulo, 7 de Setembro de 2021

Jair Bolsonaro, citando relatórios do Governo britânico, disse que pessoas vacinadas desenvolvem a SIDA muito mais rápido, mas ele afirmou que apenas leu a notícia de uma revista

A rede social Facebook tirou do ar um vídeo do Presidente brasileiro no qual ele divulgou uma informação falsa sobre a relação entre a vacina contra a Covid-19 e a SIDA.

No seu "live" na quinta-feira, 21, Jair Bolsonaro disse que relatórios do Governo do Reino Unido indicam que pessoas vacinadas completamente contra a Covid-19 estão a desenvolver a SIDA muito mais rápido do que o previsto.

O jornal Folha de São Paulo informou que o vídeo não está mais disponível nas contas do Presidente no Facebook e no Instagram.

"Só vou dar notícia, não vou comentar. Já falei sobre isso no passado, apanhei muito...vamos lá: relatórios oficiais do Governo do Reino Unido sugerem que os totalmente vacinados... quem são os totalmente vacinados? Aqueles que depois da segunda dose, né... 15 dias depois, 15 dias após a segunda dose.. totalmente vacinados...estão desenvolvendo Síndrome da Imunodeficiência Adquirida muito mais rápido do que o previsto. Portanto, leiam a matéria, não vou ler aqui porque posso ter problema com a minha live", afirmou Bolsonaro na altura.

Um porta-voz do Facebook, citado por aquele jornal de São Paulo, afirmou que "as nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas de Covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas”.

Entretanto, o portal notícias da Globo g1 disse ter contactado o Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido, que respondeu dizendo que a publicação é de um site que propaga fake news e teorias da conspiração e que a história não é verdadeira.

A notícia falsa foi colocada no site beforeitnews.com, que publica textos dizendo que as vacinas rastreiam os vacinados e que milhões de pessoas morreram com as vacinas.

Zahraa Vindhani, oficial de comunicações da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, afirmou ainda que "as vacinas contra a Covid-19 não causam SIDA" e que a "A SIDA é causada pelo HIV".

Bolsonaro acusa imprensa

Entretanto, nesta segunda-feira, 25, em entrevista à rádio Caçula FM, de Três Lagoas, no Estado do Mato Grosso do Sul, o Presidente disse ter-se limitado a repetir uma notícia da revista Exame.

“Na segunda-feira (18), a revista Exame fez uma matéria sobre vacina e Aids. Eu repeti essa matéria na minha live e a Exame falou de fake news. Foi a própria Exame que falou da relação de HIV com vacina. Eu apenas falei sobre a matéria da revista Exame. E dois dias depois a Exame me acusa de ter feito fake news sobre HIV e vacina", afirmou o Presidente, quem acrescentou que "certos órgão de imprensa são fábricas de fake news”.

A CNN Brasil informou no seu site que a revista Exame já afirmou que não irá reagir às declarações do Presidente Jair Bolsonaro.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG