Links de Acesso

UNITA calada sobre destino de 22 milhões de kwanzas de alegada tentativa de suborno


Angola UNITA símbolo

Activista diz que silêncio ante acusação feita ao MPLA desacredita alegação do partido do "galo negro"

A UNITA, principal partido da oposição em Angola, mantém o silêncio sobre o destino dado a 22 milhões de kwanzas que alegadamente confiscou após uma tentativa de aliciamento de militantes seus pelo MPLA.

UNITA calada sobre dinheiro de alegado suborno do MPLA– 2:46
please wait

No media source currently available

0:00 0:03:00 0:00

Em Junho, o partido do "galo negro" disse ter montado uma operação para comprovar que o MPLA estava a tentar alicar militantes seus com dinheiro público, como já tinha afirmado várias vezes, e apresentou em conferêcia de imprensa os 22 milhões de kwanzas que teriam sido usados para esse fim.

Esta revelação surgiu poucos dias depois da imprensa pública ter divulgado o que disse ser o ingresso de mais de 100 militantes da UNITA no MPLA.

Mas agora ninguém responde ao que foi feito com o dinheiro que, na altura da conferência de imprensa, Nelito Ekuikui, deputado e secretário provincial da UNITA em Luanda, disse que seriam entregues à Procuradoria Geral da República para investigação

A VOA contactou Nelito Ekuikui, mas remeteu-nos às estruturas superiores do partido.

De seguida, contactamos Marcial Dachala, na qualidade de porta-voz do "galo negro" que remeteu-nos ao secretário provincial de Luanda, Nelito Ekuikui.

Neste jogo de vai e vem, a VOA ouviu o activista Nuno Álvaro Dala que entende haver no acto de apresentação dos 22 milhões de kwanzas, um show político, que está agora a descredibilizar a referida iniciativa.

“Não havendo essa informação, é claro que a UNITA acaba por cair num show politico com uma mão cheia de nada”, disse.

Dala afirma que a população em geral quer uma explicação sobre o paradeiro dado aos 22 milhões de kwanzas supostamente aprendidos pela UNITA.

“Da mesma forma como a UNITA, explorou esse factp em termos de marketing e publicidade, devia também explorar e dar publicidade às fases a posteriori, quer por uma nota, quer através de uma conferência de imprensa, para explicar que no dia x, no mês y, a UNITA, depois de ter arrebentado com uma tentativa de corrupção do dinheiro do regime, pegou no dinheiro contou e entregou à PGR”, afirmou Dala lembrando que “essa medida foi anunciada inicialmente pelo partido do galo negro”.

Do lado do MPLA, o secretário para Organização Periférica e Rural do MPLA em Luanda, Bento dos Santos Kangamba, garante que o referido montante nada tem a ver com MPLA.

“Não demos dinheiro a ninguém, a UNITA veio mostrar que tem muito dinheiro, porque na mesma época nós estávamos a trabalhar nas comunidades e não tínhamos aquele dinheiro”, disse Kangamba.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG