Links de Acesso

Umaro Sissoco Embaló prega a união e pede ao Governo que cumpra o seu programa


Presidente eleito da Guiné-Bissau promete refundar o Estado

O Presidente eleito da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, prometeu unir o país e disse que, a partir de agora, haverá uma nova página, com a refundação do Estado.

No seu primeiro discurso depois de conhecidos os resultados provisórios que lhe deram a vitória com 53,55 por cento dos votos, contra 46,45 por cento de Domingos Simões Pereira, Sissoco Embaló, defendeu nesta terça-feira, 1, o diálogo, disse que não irá perseguir o seu adversário na eleição e desafiou o Governo do PAIGC a cumprir o programa aprovado no Parlamento.

“Aos cidadãos guineenses se houver um probelma devemos nos sentar numa mesa para dialogar. Somos uma república soberana e independente. Os nossos amigos da CEDEAO, União Africana, Nações Unidas, União Europeia, somos parceiros e membros de pleno direito em algumas destas organizações. Não há Estado pequeno. Existe, sim, países pequenos, mas todos os Estados são iguais”, afirmou o novo Chefe de Estado, lembrando que “este país estava no chão”.

“Eu não vou julgar ninguém como responsável, mas tenho que tirar o país desta situação em que se encontra, em colaboração com os guineenses e depois o resto vem a reboque”, avisou Sissoco Embaló, que se referiu ao candidato derrotado.

“Para mim tudo são águas passadas. Eu não posso excluir Domingos Simões Pereira, porque 46 por cento da população guineense votou nele. Tenho que trabalhar para que os 46 por cento dos eleitores guineenses que votaram nele se sintam que também que sou candidato deles. É por isso que eu digo na Guiné-Bissau, serei um Presidente de uma geração de concreto e da concórdia nacional”, garantiu o Presidente eleito, que também se dirigiu ao Governo liderado por Aristides Pereira.

No discurso de vitória ante os seus apoiantes e líderes dos partidos que o apoiaram, Sissoco Embaló pediu ao Executivo para cumprir o programa aprovado pelo Parlamento e para tudo fazer para “superar urgentemente as carências existentes a nível da educação, saúde, energia, das infraestruturas, autosoficiencia alimentar e transparência nas finanças públicas”.

Como prometeu durante a campanha, Umaro Sissoco Embaló reiterou que vai combater o tráfico de droga e a corrupção e que avançará com as reformas institucionais que se julgam oportunas “para reforçar o sistema democrático e o Estado do direito”.

“É chegado o momento de acreditarmos em nós mesmos e, por isso devemos aproveitar as nossas potencialidades e pôr mãos à obra como via para criarmos as riquezas e desenvolver o país”, enfatizou Embaló, lembrando que será “um Presidente de todos os guineenses”.

Recorde-se que Domingos Simões Pereira anunciou que vai impugnar as eleições por considerar que houve muitas irregularidades.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG