Links de Acesso

"Tudo que tem um começo tem um fim", diz José Eduardo dos Santos


José Eduardo dos Santos

Presidente do MPLA reitera saída da liderança do partido

O presidente do MPLA, partido no poder em Angola, José Eduardo dos Santos reiterou deixar a liderança da organização a partir do congresso extraordinário que terá lugar em Setembro.

"Tudo que tem um começo tem um fim porque é assim a dialética da vida", afirmou José Eduardo dos Santo ao discursar a abertura de mais uma reunião do Comité Central do MPLA nesta sexta-feira, 25.

José Eduardo, que dirigiu o MPLA desde 1979, disse que a decisão resulta da sua vontade de abandonar a vida política no ano de 2018, facto que ele lembrou na sua intervenção.

“Na altura recordo-me de ter dito, em linhas gerais, aqui nesta sala, que tudo o que tem um começo tem um fim, porque é assim a dialética da vida. Mas na verdade, a vida do nosso partido tem um ciclo que termina e recomeça-se assim a outra fase da sua existência”, lembrou Santos.

Ele desejou "uma transição pacífica, tranquila e sem sobressaltos, demonstrando-se assim a maturidade política do MPLA, com um partido com mais de 60 anos de existência que soube sempre superar momentos difíceis, congregar os seus militantes, mobilizar o povo e manter a sua unidade e coesão para alcançar as vitórias mais retumbantes da história moderna de Angola".

Em jeito de recomendação, José Eduardo dos Santos defendeu que o MPLA "deve saber reter tudo o que fez de positivo e lhe permitiu chegar à fase em que nos encontramos e estabelecer novos objectivos para os seus militantes, visando materializar os ideais proclamados pelo MPLA desde a sua fundação”.

O partido no poder em Angola realiza um congresso extraordinário na primeira quinzena de Setembro no qual vai eleger João Lourenço como Presidente.

A candidatura do actual Presidente da República foi já endossada pelo Bureau Político do MPLA

Observadores defendem medidas sistémicas contra a corrupção em Angola

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG