Links de Acesso

Trump saúda "história épica" da América


Presidente dirige celebração da Independência

Ao contrário do que é tradição nos Estados Unidos, o Presidente Donald Trump foi o anfitrião, na noite desta quinta-feira, 4, em Washington do que ele chamau de "O show de uma vida" para celebrar o Dia da Independência.

Enquanto os presidentes no passado preferiam deixar as famílias celebrar o dia, neste ano Trump assumiu directamente a comemoração, ao fazer uma “Saudação à América”, na qual apresentou a exibição de aviões militares, música de banda patriótica e uma exibição de tanques.

Durante um longo discurso no Lincoln Memorial, ele destacou os 243 anos da história americana, apesar da ameaça de chuva.

Trump classificou a história dos Estados Unidos de "épica de uma grande nação de pessoas que arriscaram tudo pelo que sabem ser certo e pelo que sabem ser verdade".

No discurso, ele não fez menção à política, à eleição do próximo ano ou às duas dúzias de candidatos democratas que querem impedi-lo de conseguir um segundo mandato.

Em vez disso, Trump evitou falar sobre o que divide os americanos, mas sim sobre o que os une.

"Ao nos reunirmos esta noite na alegria da liberdade, lembramos que todos compartilhamos uma herança verdadeiramente extraordinária. Juntos, somos uma das maiores histórias já contadas", disse o Presidente.

"Os americanos amam a nossa liberdade e ninguém nunca vai tirar isso de nós ... nossa nação é mais forte hoje do que era antes", sublinhou Trump, que fez uma homenagem especial a cada um dos ramos dos militares e apelou aos jovens americanos a que considerem fazer das forças armadas uma carreira.

Críticas e apoios

Muitos residentes de Washington ficaram furiosos porque o Pentágono e as autoridades de segurança ocuparam as áreas do National Mall, onde o público costuma se reunir para as comemorações.

Outros ficaram irritados porque a Casa Branca distribuiu bilhetes para ouvir o discurso de Trump apenas a republicanos leais ao Presidente.

Manifestantes contra o Presidente marcaram presença no
National Mall, no centro da capital, mas não de forma organizada.

Também marcou presença o conhecido balão que mostra Trump como um bebé irritado envolto numa fralda.

Entre os manifestantes estavam também veteranos militares que acusam Trump, que nunca serviu no exército, de “explorar” o seu trabalho para sua própria satisfação.

Mas Donald Trump também tinha milhares de apoiantes, vestidos de vermelho e com o tradicional chapéu Maga (Fazer América Grande Outra Vez, na sigla em inglês".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG