Links de Acesso

Trump quer regresso da Rússia ao G7


Donald Trump fala aos jornalistas antes de viajar para o Canadá

Alemanha e Canadá são contra e Rússia diz não estar interessada

O Presidente americano Donald Trump defendeu nesta sexta-feira, 8, que o G7, grupo dos sete países mais industrializadas do mundo, deveria reintegrar a Rússia, expuslsa em 2014 depois de ter anexado a Crimeia.

"A Rússia deveria estar nesta reunião, goste-se ou não. E posso não ser politicamente correcto, mas temos um mundo para gerir. O G7, que era o G8, que expulsou a Rússia, deveria deixar a Rússia voltar", afirmou Trump antes de embarcar para o Canadá.

Em 1997, a Rússia foi adicionada ao grupos dos países mais industrializados que ficou conhecido como G-8, mas após a anexação da Criméia, Moscovo foi suspenso do grupo em 2014.

A Rússia anunciou a sua retirada definitiva no ano passado.

Itália, Canadá e Alemanha

Giuseppe Conte apoio Trump
Giuseppe Conte apoio Trump

O novo primeiro ministro da Itália, Giusseppe Conte, escreveu no Twitter que apoia a sugestão de Trump, enquanto na quarta-feira, 6, a primeira-ministra alemã Angela Merkel tinha afirmado não haver condições para Moscovo regressar ao grupo.

Também o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, disse que o seu governo continua a ser contra a readmissão da Rússia.

Em Moscovo, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, descartou a possibilidade do regresso e, em declarações à agência de notícias Sputnik afirmou que Rússia está focada noutros espaços, além do G7.

A cimeira que termina amanhã deverá registar posições contraditórias entre Donald Trump e alguns dos seus aliados.

Ameaça

Emmanuel Macron (esq) e Justin Trudeau (dir)
Emmanuel Macron (esq) e Justin Trudeau (dir)

O Presidente da França, Emmanuel Macron, ameaçou deixar os Estados Unidos de fora do tradicional comunicado final da reunião devido ao aumento de tarifas por parte da administração trump.

Ele afirmou que o Presidente dos Estados Unidos pode não se importar de ficar isolado, mas“nós também não nos importamos de assinar um acordo a seis países se for preciso".

Ao seu lado, o primeiro-ministro Canadá, Justin Trudeau, alertou que "tanto os parceiros como os trabalhadores americanos irão perder" com as tarifas impostas pelos Estados Unidos.

Por seu lado, o Presidente americano escreveu no Twitter estar "ansioso por corrigir os acordos comerciais injustos com os países do G7".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG