Links de Acesso

Trabalhadores sem salários há 57 meses esperam pela privatização da empresa


Ministro angolano da Construção responde a protestos de 427 trabalhadores sem revelar datas

O ministro angolano da Construção, Tavares de Almeida, revelou que a Empresa Nacional de Pontes está em processo avançado de negociações para a sua privatização, findo o qual os 427 trabalhadores serão indemnizados.

Tavares de Almeida, no entanto, não revelou nem a data nem o destino daqueles trabalhadores que estão sem salários há 57 meses e que no sábado, 18, voltaram a realizar uma marcha para chamar a atenção para a sua situação.

“Há solução e está na fase final a venda da Empresa Nacional de Pontes que tão logo esteja concluída serão pagos os salários”, anunciou o ministro aquando do lançamento nesta segunda-feira, 20, da primeira pedra de mais um viaduto na Cidade de Luanda sem dar mais detalhes.

O governante justificou o atraso no pagamento dos salários com o facto de “a empresa estar sem produtividade e sem rendimento”.

Recorde-se que a Empresa Nacional de Pontos de Angola foi substituída por empresas chinesas que se ocupam da construção das pontes no país.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG