Links de Acesso

Trabalhadores da empresa de transporte colectivo de Luanda voltam a baixar os braços


Autocarros da empresa Transporte Colectivo Urbano de Luanda (TCUL), Angola

Continua o braço-de-ferro entre os mais de mil trabalhadores da empresa pública de Transporte Colectivo Urbano de Luanda (TCUL) e o Conselho de Administração.

Nesta segunda-feira, 28, começou mais uma greve na empresa, com oas trabalhadores a queixarem-se de más condições de trabalho, baixos salários e cortes nas férias.

Trabalhadores da TCUL em greve - 1:54
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:53 0:00

"Vamos cruzar os braços, olhando a entidade patronal com a cumplicidade implícita da Direcção Nacional dos Transportes, do Ministério dos Transportes, do Governo da província de Luanda e da Inspeção Geral do Trabalho a violarem os nossos direitos vamos aceitar?” disse Domingos Epalanga, primeiro secretário da Comissão Sindical da CGSILA na TCUL.

O sindicalista acrescenta que a entidade empregadora não se mostrou disponível a negociar com os trabalhadores, após a greve ter sido suspensa.

“Com excepção da Provedoria Geral da República, que justificou a sua ausência, todas as entidades foram convidadas ao diálogo mas nao quiseram atender ao nosso clamor”, revelou Epalanga.

A VOA tentou o contacto com a direcção da empresa mas sem sucesso.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG