Links de Acesso

Suspensão de aulas durante um mês pode colocar em causa ano lectivo em Bissau


Bissau

Governo decretou suspensão das aulas na capital do país durante Estado de Calamidade

Estudantes, pais e encarregados de educação na Guiné-Bissau estão preocupados com as consequências que a decisão do Governo de suspender as aulas na capital do país pode representar para a continuidade dopresente ano lectivo, já marcado por diversas graves.

Suspensão de aulas durante um mês pode colocar em causa ano lectivo em Bissa
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:26 0:00

De acordo com um decreto do Governo, todos os estabelecimentos do ensino público e privado vão ficar encerrados nos próximos 30 dias, durante a vigência do Estado de Calamidade.

Em conversa com a VOA, o presidente da Confederação Nacional dos Estudantes da Guiné-Bissau, Bacar Camará, disse não compreender a medida do Governo “enquanto os transportes públicos e os mercados estão a funcionar".

Camará considera que, ao invés do Governo suspender as aulas, devia investir mais na campanha de sensibilização e “reforçar os mecanismos de prevenção ao nível das escolas e aumentar o nível da higienização".

Com os alunos forçados a ficarem em casa, pais e encarregados de educação manifestam-se apreensivos quanto àao desempenho neste ano lectivo.

Abdu Indjai, vice-presidente da Associação dos Pais e Encarregados de Educação, é da opinião que os 30 dias de suspensão das aulas podem comprometer o presente ano lectivo em Bissau.

“Dentro do sector autónomo de Bissau há escolas ao redor, que pertencem à região de Biombo, e como é que se pode evitar a aglomeração das pessoas nestas escolas que estão situadas dentro de Bissau? Por isso, achamos que o Governo devia pensar de forma diferente para não interromper o ensino aprendizagem”, afirma Indjai.

De notar que o presente ano lectivo está a ser marcado, desde o início, por sucessivas greves decretadas pela União Nacional dos Trabalhadores da Guiné, a maior central sindical guineense.

Ante esta suspensão das aulas e com a falta condições para o ensino à distância e durante a época das chuvas, particularmente nas escolas públicas, o especialista em assuntos do ensino Silvino Yalá, diz“não haver como evitar os prejuízos”.

“Com a paralisação de mais de duas semanas consecutivas e havendo esta suspensão não só ao nível do ensino básico, secundário como ao nível superior, tanto do ensino público como privado, vamos correr o risco não termos um ano lectivo válido”, conclui aquele pedagogo.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG