Links de Acesso

Somália: Treze militantes do al-Shabab mortos em confrontos; quatro civis mortos em explosão num mercado


Foto de arquivo

Autoridades governamentais alertaram repetidamente, nesta semana, sobre a possibilidade de aumento dos ataques de terroristas durante o mês sagrado islâmico de Ramadan.

Confrontos entre as tropas do exército somali e militantes da Al-Shabab deixaram, neste sábado, 12, pelo menos 13 militantes mortos, disseram testemunhas e autoridades.

Os confrontos deste sábado, no centro da Somália, começaram após homens armados do al-Shabab terem tentado impor impostos aos moradores de Halfoley, uma vila rural perto da cidade de Jalalaqsi, na região de Hiran.

Abdi Dahir Guure, comissário distrital da cidade de Bulabarde, disse à VOA Somali que soldados do governo, apoiando pastores de gado, se envolveram em mais de cinco horas de feroz batalha com os militantes.

"A batalha irrompeu por volta das sete horas da manhã, horário local, quando militantes fortemente armados atacaram os aldeões depois de recusar uma ordem anterior de militantes pedindo aos pastores locais que entregassem alguns animais como zakat, ou impostos", disse Guure.

Ele acrescentou que "forças do exército do governo, enviadas para proteger os pastores, imediatamente se juntaram à batalha, matando pelo menos 13 militantes".

Funcionários do governo somali na região disseram que outras unidades do exército nacional estão noutras aldeias da região para impedir que os militantes se reorganizassem para novamente atacar os pastores.

Muitas testemunhas independentes contactadas pela VOA confirmaram a alegação do governo, dizendo que viram os corpos de pelo menos 13 militantes. Dois pastores locais também foram feridos durante a batalha.

Os confrontos envolvendo pastores que resistem aos impostos do al-Shabab começaram nas regiões de Hiran e Middle Shabelle, em 2013.

Explosão provoca mortes em Bulomarer

Noutro incidente separado, uma explosão, no mercado do distrito de Bulomarer, a cerca de 150 quilómetros a sul de Mogadíscio, onde estão estacionadas as forças de paz da União Africana, deixou quatro civis mortos e cinco outros feridos.

"Um dispositivo explosivo aparentemente plantado num mercado de gado explodiu, matando quatro civis inocentes e outros cinco ficaram feridos", disse à VOA Muhidiin Khalif Aliyow, funcionário local.

Não ficou claro imediatamente quem esteve por trás da explosão, mas as autoridades de segurança locais culpam o grupo terrorista al-Shabab.

Na quarta-feira, uma explosão matou pelo menos 10 pessoas e feriu 15 num mercado onde o estimulante khat é vendido, na cidade de Wanlaweyn, na mesma região de Baixo Shabelle, cerca de 90 quilómetros a noroeste da capital, Mogadíscio.

Nos últimos dias, as autoridades governamentais alertaram repetidamente sobre a possibilidade de aumento de ataques de terroristas durante o mês sagrado islâmico de Ramadan, que inicia na próxima semana.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG