Links de Acesso

São Tomé e Príncipe: Profissionais de saúde em greve na primeira semana de Fevereiro


Profissionais de saúde, São Tomé e Príncipe

Os cinco sindicatos do Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe convocaram para 2 de fevereiro próximo uma greve, por tempo indeterminado, em todos os hospitais e centros de saúde do país.

No pré-aviso, os profissionais de saúde lamentam a incapacidade do governo para resolver um conjunto de preocupações que tende a agravar-se dia após dia.

São Tomé e Príncipe: Profissionais de saúde em greve na primeira semana de Fevereiro
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:01 0:00

Os sindicatos dos Médicos, Enfermeiros e Parteiras, Técnicos da Saúde, Serviços Gerais de Saúde e Serviços Administrativos, numa só voz denunciam o mau funcionamento e desempenho do hospital Ayres de Meneses, das áreas de saúde e do hospital da região autônoma da ilha do Príncipe, e criticam a “ausência de condições de trabalho a todos os níveis”.

Os sindicatos do Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe dizem que ao longo dos últimos anos “a situação no sector vem degradando a um ritmo que já não dá para suportar”.

“Não há segurança. Não há medicamentos essenciais para salvar vidas. Os hospitais não têm consumíveis nem reagentes”, dizem os responsáveis dos sindicatos no pré-aviso de greve enviado ao ministro da Saúde.

“Todo mundo sabe. O governo e a população conhecem a situação dos hospitais e nós queremos solução”, disse Benvinda Vera Cruz, do Sindicato dos Médicos.

Os profissionais de saúde de São Tomé e Príncipe exigem ainda o aumento de salário de base na ordem dos 100 por cento, além da aprovação e publicação dos estatutos, promoção e progresso nas carreiras.

O ministro Edgar Neves acredita que ainda vai a tempo de impedir a greve por tempo indeterminado com início marcado para 2 de fevereiro próximo.

“O governo está em conversação com os sindicatos e estamos a ver como resolver as reivindicações”, afirma o titular da pasta da saúde que, no meio da batalha contra a pandemia da covid-19, corre agora contra o tempo para tentar travar a greve dos profissionais do seu ministério.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG