Links de Acesso

Relações entre Buckingham e Harry e Meghan atingem o clímax com entrevista a Oprah


Imagem de arquivo da família real britânica no Palácio de Buckingham em Julho de 2018

A família real britânica prepara-se este domingo para novas revelações do príncipe Harry e da sua esposa americana, Meghan, depois de uma semana de reivindicações e contra-reivindicações transatlânticas, que atinge o clímax com a transmissão da entrevista do casal com Oprah Winfrey.

A conversa de duas horas com a guru da comunicação dos Estados Unidos é a maior entrevista real desde que a princesa Diana, mãe de Harry, detalhou o seu casamento em ruínas com o pai dele, o príncipe Charles, em 1995.

A chocante admissão de Diana sobre os casos extra-conjugais de ambos os lados e sua vida na família mais famosa do mundo foi assistida por mais de 22 milhões de pessoas na Grã-Bretanha - um recorde.

Mas isso poderá ser eclipsado pela entrevista de Harry e Meghan com Winfrey, que supostamente vendeu para a emissora americana CBS por 7 a 9 milhões de dólares (£ 5,1 milhões a £ 6,5 milhões, 5,9 milhões a 7,6 milhões de euros).

Winfrey também mantém os direitos internacionais, o que alimentará um apetite de interesse sobre a monarquia centenária da Grã-Bretanha - e os seus problemas - em todo o mundo.

"Chapéus de lata", disse um assessor real ao Sunday Times, após uma série de trechos em que Meghan reclamava das restrições da vida real a partir da sua mansão californiana.

Os espectadores irão sintonizar para ver se ela e Harry têm contas a acertar com o Palácio de Buckingham desde que deixaram a linha de frente real - e se assim for, até onde irão os duques?

Entrevista gravada dos duques de Sussex com Oprah Winfrey (Foto: Harpo Productions/Joe Pugliese via REUTERS)
Entrevista gravada dos duques de Sussex com Oprah Winfrey (Foto: Harpo Productions/Joe Pugliese via REUTERS)

Campanha difamatória?

Atenção especial será dada a qualquer sugestão de Meghan, que é mestiça, de que o racismo desempenhou um papel na decisão chocante de se mudar para a América do Norte.

A ex-atriz de televisão, de 39 anos, foi retratada em alguns jornais britânicos como teimosa, calculista e mimada, e o casal temerário e egoísta por abandonar a vida real.

Mas em sua defesa, os apoiantes de Meghan, especialmente nos Estados Unidos, viram indícios de racismo, alegando que a monarquia não poderia lidar com uma "mulher negra forte".

Num excerto da entrevista, Meghan, que está grávida do segundo filho do casal, acusou a realeza de orquestrar uma campanha de difamação calculada e "perpetuar mentiras" sobre eles.

O excerto foi disponibilizado horas depois das revelações de que ela enfrenta uma investigação interna do palácio sobre alegações de que ela intimidou funcionários do palácio depois de se casar com Harry numa união de conto de fadas em 2018.

Outros relatos de que o casal enfrenta uma investigação sobre a sua fundação de caridade foram vistos como uma contra-ofensiva pela realeza numa batalha amarga por apoio público e simpatia.

Sem vencedores

Poucas horas antes da transmissão, a avó de Harry, a Rainha Elizabeth II, e outros membros séniores da realeza, incluindo o seu pai e o irmão mais velho William, fazem sua própria aparição na TV.

A celebração do Dia da Comunidade Britânica normalmente passa com pouca fanfarra na Grã-Bretanha, mas este ano está a ser observada de perto em busca de sinais de críticas implícitas a Harry e Meghan.

Excertos divulgados no sábado mostraram William e a sua esposa Kate - com quem Harry e Meghan supostamente se desentenderam - elogiando os profissionais de saúde globais pelo seu trabalho durante a pandemia do coronavírus.

Isso provavelmente será visto nos jornais britânicos, em contraste com Harry e Meghan, que foram criticados por reclamar da sua vida, mesmo depois de assinar negócios lucrativos no ano passado.

O casal, conhecido formalmente como duque e duquesa de Sussex, provavelmente receberá mais simpatia pública - e um perfil mais amplo - nos Estados Unidos.

Mas a autora real Penny Junor disse que todo o caso foi "uma confusão". "Não acho que haverá vencedores nisso", disse ela.

Rainha Elizabeth. Fevereiro 25, 2021.
Rainha Elizabeth. Fevereiro 25, 2021.

O Sunday Times disse que a rainha, 94 anos, não iria assistir à entrevista, que deve ir ao ar na íntegra na noite deste domingo, 7 de Março, nos Estados Unidos e na noite de segunda-feira na Grã-Bretanha.

O semanário citou membros da corte não identificados como chamando a situação de "circo".

Os espectadores também assistirão para ver se Harry esclarece a sua rixa com William, após relatos de que ele e sua esposa Kate eram indiferentes a Meghan.

Eles também tendem a expandir as suas atitudes em relação à media, que, segundo eles, motivou a sua saída e contra a qual lançaram uma série de acções judiciais.

"A minha maior preocupação era a história repetir-se", disse Harry, 36, a Winfrey num excerto, referindo-se à morte da sua mãe num acidente de carro em 1997 em Paris, enquanto ela fugia de fotógrafos paparazzi.

Harry e Meghan afastaram-se dos deveres reais em Março do ano passado. Foi confirmado no mês passado que eles não voltariam e foram despojados dos seus patronos reais e títulos honorários.

AFP

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG