Links de Acesso

Rússia: partido apoiado pelo Kremlin reivindica vitória nas eleiçōes para a Duma


Eleiçōes parlamentares na Rússia, 20 Setembro 2021

A votação foi prejudicada pela falta de uma presença significativa da oposição

Na Rússia, o partidono poder, United Russia,que é apoiado pelo Kremlin, afirmou ter ganho uma supermaioria de dois terços na Câmara Baixa do Parlamento russo, após três dias de votação ensombrados por crescentes reclamações da oposição de irregularidades e adulterações de boletins de voto.

A eleição é largamente vista como uma parte importante dos esforços do Presidente russo Vladimir Putin para cimentar o seu domínio sobre o poder antes de uma possível candidatura nas eleições presidenciais de 2024, tornando o controlo da Duma chave.

A votação também foi prejudicada pela falta de uma presença significativa da oposição, depois de as autoridades terem declarado as organizações ligadas à figura da oposição encarcerada Aleksei Navalny como "extremista", impedindo efectivamente qualquer pessoa da sua rede de concorrer.

Pela primeira vez desde 1993, os observadores eleitorais da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) não estiveram presentes devido a limitações impostas pelas autoridades russas.

Com 90 por cento dos votos contados, a Comissão Eleitoral Central afirmou no início desta segunda-feira, 20 de Setembro, que a Rússia Unida, que apoia o Presidente Vladimir Putin, tinha ganho 49,66 por cento dos votos para a nova Duma Estatal.

O seu rival mais próximo, o Partido Comunista, tinha 19,56%, e o Partido Liberal Democrático Nacionalista recebeu 7,51%. Dois outros partidos, A Just Russia e um partido recém-chegado, New People, tinham recebido 7,38% e 5,33%, respectivamente.

Os resultados da votação online em Moscovo, uma cidade de 12 milhões de pessoas, ainda não foram contados.

A Rússia Unida, que detém actualmente 334 lugares na Duma de 450 lugares, procura manter a sua supermaioria na legislatura. Mas o partido é profundamente impopular, e sondagens independentes mostraram a sua taxa de aprovação ao nível mais baixo nas duas décadas desde a sua primeira fundação.

Na última votação nacional em 2016, a Rússia Unida ganhou pouco mais de 54% dos votos.

A apatia é outra grande preocupação para as autoridades, à medida que os eleitores russos se tornam cada vez mais cínicos sobre o quão livres e justas são as eleições no país. A afluência às urnas nas eleições foi de cerca de 45 por cento, afirmou a Comissão Eleitoral Central.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG