Links de Acesso

Presidente do Parlamento guineense procura solução para crise política


Assembleia Nacional Nacional

O presidente da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, está reunido nesta segunda-feira, 1, com os partidos políticos com assento parlamentar na tentativa de encontrar uma solução para a crise política no país.

O encontro surge depois de, na passada segunda-feira, 25, o Presidente da República, Úmaro Sissoco Embaló, ter dado ao Parlamento um prazo até o dia 18 para encontrar uma solução parlamentar.

"O presidente do Parlamento sabe o que estou a pensar. A minha primeira opção é a dissolução do Parlamento. Mas dei-lhe um ultimato até dia 18 de junho para trazer uma solução porque no dia 19 irei tomar uma decisão que será melhor para a Guiné-Bissau e para os guineenses. Que o líder do Parlamento chame os partidos para negociarem, senão, irei decidir", afirmou o Sissoco Embaló na altura.

Este ultimato acontece depois de o Presidente não ter convidado formalmente nenhum partido para indicar um primeiro-ministro como defende a Cedeao, cujo prazo era até 22 de maio, tendo apenas solicitado ao PAIGC para encontra uma solução juntamente com os demais partidos, iniciativa que foi abortada pelos partidos MADEM-G15, PRS e APU-PDGB, que apoiam Sissoco Embaló.

Os partidos reclamam duas maiorias: de um lado o PAIGC, vencedor das eleições legislativas de março de 2019, com o apoio de deputados do APU-PDGB, liderado pelo atual primeiro-ministro, Nuno Gomes Nabian, que entretanto se aliou ao Presidente da República, o Partido da Unidade Nacional (PUN) e União para a Mudança, e do outro o MADEM-G15, PRS e APU-PDGB.

Ambas dizem ter maioria de deputados no Parlamento com 102 cadeiras.

A reunião na sede da Assembleia Nacional Popular ainda continua.

A reuniao entre o presidente do Parlamento e os partidos políticos continua.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG