Links de Acesso

Presidenciais na Guiné-Bissau com alta participação dos eleitores


CNE diz que votação decorrer na normalidade

A porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE) da Guiné-Bissau, Felisberta Moura Vaz, confirmou a versão de jornalistas das rádios parceiras da VOA no país que indicaram uma grande afluência de eleitores às urnas neste domingo, 24.

"Continua a registar-se uma afluência massiva às urnas que muito nos encoraja e estamos convencidos de que a taxa de participação deste pleito será positiva", disse Vaz a jornalistas na sede da CNE, pouco antes do fecho das urnas, que aconteceu às 17 horas locais.

Durante a emissão especial da VOA, jornalistas das rádios parceiras em Bafatá, Cacheu, Cachiungo e Bissau confirmaram a alta adesão às urnas e a tranquilidade na votação.

Felisberta Moura Vaz garantiu que a eleição presidencial decorreu “na normalidade” , apesar de um incidente no círculo eleitoral 12 em Djabicunda, na região de Bafatá, mas que “já foi ultrapassada e retomada a votação”.

Refira-se que nas primeiras horas em algumas assembleias de voto houve dificuldade no uso da tinta indelével que demorava, mais do normal, em deixar marcado o dedo polegar dos eleitores.

O problema foi, no entanto, rapidamente resolvido, de acordo com a porta-voz da CNE.

Nas redes sociais, apoiantes de alguns candidatos denunciaram irregularidades, tais como actas de assembleias de voto já preenchidas para os delegados assinarem e eleitores que fotografaram os boletins de voto, mas não há confirmação oficial das denúncias.

A legislação estabelece um prazo de sete dias para a CNE apresentar os resultados provisórios das eleições, mas fontes locais dizem que entre quarta ou quinta-feiras poderão ser conhecidos os primeiros resultados, indicando a tendência das urnas.

Entretanto, tendo em conta que as equipas dos candidatos têm as actas das assembeleias de voto os resultados poderão ser conhecidos bem antes desse prazo.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG