Links de Acesso

Príncipe Harry homenageia Diana e defende desminagem total em Angola


Harry refaz percurso da mãe

O príncipe Harry percorreu parte do caminho feito pela mãe, a princesa Diana, em 1997, na província angolana do Huambo, onde baptizou o hospital para vítimas de minas terrestes com Centro Ortopédico Princesa Diana".

"Quando ela visitou este centro, durante o conflito, estava cheio de mulheres, homens e até crianças feridas por minas terrestres. Sei que se ela estivesse aqui hoje ficaria encantada por ver que este centro se tornou um líder global em reabilitação ortopédica no meio de uma comunidade vibrante e próspera", disse Harry, que também elogiou "o nível extraordinário de atendimento prestado pelo centro".

Harry desactiva uma mina terrestre
Harry desactiva uma mina terrestre


O duque de Sussex acrecentou que gostaria que a mãe estivesse viva porque “gostaria de testemunhar esta realidade, que se vive neste lugar, pelo facto de o povo angolano ser um exemplo a seguir e pelo compromisso de ter o país, até 2025, livre de minas”.

Harry, que no aeroporto cumprimentou crianças, visitou várias dependências do Centro, em particular as oficinas, onde são feitas as próteses adaptadas às vítimas de minas.

Encontro com vítimas

Um dos momentos altos da visita foi quando ele parou para falar com algumas das vítimas, entre elas Justina Ngoi César, a menina amputada que conheceu Diana aos 15 anos.

Em breves declarações disse que a visita foi "profundamente pessoal e significativa" e realçou a transformação visível do Huambo.

Princesa Diana em Angola em 1997
Princesa Diana em Angola em 1997


Harry lembrou que a desminagem é uma tarefa muito difícil e de grande risco para a vida, “mas que tem de ser feita, porque, mais de 60 milhões de pessoas continuam a viver sob ameaça e risco de minas terrestres”.

Apelo a ajuda

Em jeito de apelo, ele desafiou as autoridades angolanas e a comunidade internacional a “acabar o que foi começado e redobrar os nossos esforços, (...) vamos pôr esta arma nos livros de História para sempre”.

Amanhã, o Presidente João Lourenço recebe em audiência, no palácio da Cidade Alta, o príncipe Harry, que depois deverá visitar a maternidade do Hospital Lucrécia Paim para conhecer a campanha "Nascer Livre para Brilhar", que visa reduzir a transmissão do HIV/Sida de mãe para filhos.

A primeira etapa do príncipe a África começou em Cape Town, na África do Sul, acompanhado da esposa, Meghan Markle, e pelo filho, Archie Harrison.

Depois, ele seguiu sozinho para o Botswana e Angola, de onde sai no sábado, 28, com destino a Malawy e Joanesburgo, na África do Sul.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG