Links de Acesso

Poder político não compreende o papel da imprensa numa democracia, dizem analistas


Jornalistas em Moçambique.

Jornalistas e representantes de organizações da sociedade civil moçambicanos denunciam o que consideram onda de perseguições e detenção de jornalistas, e dizem existirem setores do poder político que não compreendem o papel dos profissionais da comunicação social numa sociedade democrática.

Pelo menos cinco jornalistas moçambicanos foram detidos só em Junho findo, sendo dois na província de Sofala, outros dois na província de Inhambane e um na cidade de Maputo, "o que constitui motivo de muita preocupação".

A mais recente detenção foi do jornalista Omardine Omar, do portal Carta de Moçambique, no dia 25, na cidade de Maputo, tendo sido conduzido à cadeia central da Machava, no dia seguinte, depois de ter estado no tribunal que determinou um julgamento sumário.

O editor do portal Mediafax, Fernando Mbanze, que já fora julgado por alegado crime de difamação, diz que "até parece que os poderes político e judicial se uniram contra os jornalistas, e isso é muito preocupante porque coloca em causa a liberdade de imprensa e de expressão em Moçambique".

Segredo de Estado

Ainda em Junho passado, o Ministério Público constituiu arguidos os jornalistas Fernando Veloso e Matias Guente, do semanário Canal de Moçambique, acusados de violação de segredo do Estado, por publicarem um alegado acordo confidencial sobre a segurança nas obras de construção dos projetos de gás natural, em Cabo Delgado.

Esta figura de segredo de Estado, segundo o jurista e jornalista Tomás Vieira Mário, lamentavelmente, "tem sido usada para bloquear informação de interesse público, e nós achamos isso muito preocupante".

Para o jornalista Alexandre Chiúre, "a situação é deveras preocupante e não se resume apenas a detenções, porque há casos em que os jornalistas, não tendo sido detidos, foram impedidos de fazer trabalhos jornalísticos, e, infelizmente, o Sindicato Nacional de Jornalistas não tem dado conta do recado".

"Quantas vezes não ouvimos dizer que um jornalista foi baleado e o caso não é investigado?", interroga Lázaro Zandamela, da organização Justiça Social.

Por seu turno, o director do Centro para a Democracia e Desenvolvimento-CDD, Adriano Nuvunga, diz que o poder político não compreende o papel que desempenham os jornalistas numa sociedade democrática. "Teme perder o poder", destaca.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG