Links de Acesso

Patrice Trovoada anuncia recandidatura à liderança da ADI


Antigo PM diz que "este poder é o pior de todos os tempos"

O antigo primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe e auto-suspendo presidente da ADI, Patrice Trovoada, admite recandidatar-se à liderança do principal partido da oposição.

“Esta será o sentido da minha candidatura e a minha moção de estratégia” disse Patrice Trovoada num video exibido na reunião do Conselho Nacional, no sábado, 3, marcada pela ausência da nova direção de Agostinho Fernandes, de acordo com a agência de notícias, STP-Press.

“Espero encontrar homens e mulheres determinados, capazes para caminharem junto comigo para construirmos um novo São Tomé e Príncipe”, acrescentou Trovoada, que deixou o partido, sem entregar o Governo, logo após a derrota nas legislativas de Outubro de 2018.

Depois de apelar às diferentes comissões que irão organizar o congresso para fazerem um trabalho sério, muito profissional, muito transparente e democrático quanto à eleição dos delegados”, o antigo primeiro-ministro disse que o seu “seu desejo, no congresso de final de Setembro, é que surja uma direcção capaz de levar a ADI para outros patamares”.

Patrice Trovoada criticou o Goveno dizendo que “o país está a caminhar para o abismo dia após dia” porque “este poder é o pior de todos os tempos".

Para ele São Tomé e Príncipe “precisa de uma recuperação moral, ética, económica, social e das instituições, por isso, tem de surgir uma nova direcção do ADI, corajosa, determinada capaz de tirar lições do passado e promover necessárias rupturas”,

A reunião do Conselho Nacional do passado sábado foi convocada pela comissão de gestão da ADI liderada por José da Graça Diogo para analisar a realização do congresso previsto para Setembro, e, segundo os promotores, estabelecer um pacto de reconciliação com a nova direcção liderada por Agostinho Fernandes que, desde a primeira hora, demarcou-se do evento alegando tratar-se de uma “farsa” política.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG