Links de Acesso

Partidos que apoiam Presidente guineense anunciam "nova maioria" parlamentar


Assembleia Nacional Popular, Guiné-Bissau

Os partidos políticos que apoiaram a candidatura de Úmaro Sissoco Embaló à Presidência da Guiné-Bissau prometem entregar ainda nesta sexta-feira, 15, o Acordo de Incidência Parlamentar e de Estabilidade Política e Governativa, assinado a 28 de outubro do ano passado.

A iniciativa, depois da ratificação do documento pelos órgãos do Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G 15), Partido da Renovação Social (PRS) e Assembleia do Povo Unido–Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), visa assegurar uma maioria parlamentar que garanta uma base para a escolha de um futuro Governo.

Até agora, o PAIGC, a Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), que também aparece no documento que apoiou Embaló, PND e União para a mudança, garantiam ter uma maioria parlamentar de 52 dos 102 deputados, que lhe garantiam a iniciativa de formar um novo Executivo.

O anúncio dos partidos que apoiam o Presidente foi feito aos jornalistas em Bissau por Jorge Mandinga, dirigente do APU-PDGB, partido liderado pelo atual primeiro-ministro, Nuno Gomes Nabian, quem afirmou que a iniciativa ʺpõe fim a qualquer veleidade de se constituir novas maiorias, grandes maiorias, pequenas maiorias na Assembleia Nacional Popularʺ.

ʺA Constituição da República, no seu artigo 4º, diz que são os partidos políticos que representam o povo da Guiné-Bissau e é somente neste quadro que se pode discutir a representação do povo da Guiné-Bissauʺ, acrescentou Mandinga, revelando ainda que a Comissão Política Nacional do APU-PDGB rescindiu o acordo que tinha assinado com o PAIGC e outros partidos após a eleição de março de 2010.

ʺÉ um documento que será igualmente remetido ao Presidente da República e à Assembleia Nacional Popular e esperemos que prevaleça o bom senso para que realmente possamos arrancar rumo à estabilidade governativa de uma vez para sempreʺ, afirmou Jorge Mandinga.

Aquele dirigente disse que a “nova maioria” é integrada por 27 deputados do MADEM-G15, 21 do PRS e 5 do APU-PDGB, um total de 53.

Ainda de acordo com Mandinga, os quatro deputados do seu partido que até agora estavam do lado do PAIGC, vão ter de obedecer as orientações do APU-PDGB,

Recorde-se que a Cedeao deu ao Presidente Úmaro Sissoco Embaló um prazo de até o dia 22 de maio para formar um novo Governo, tendo ouvido já os partidos políticos com assent parlamentar.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG