Links de Acesso

PAIGC e MADEM-G15 vão analisar saída à crise política na Guiné-Bissau


Palácio da Assembleia Nacional Popular

Os dois principais partidos da Guiné-Bissau, o PAIGC e o Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15) vão encontrar-se para negociações com vista a discutir uma saída para a crise política que afeta o país.

A reunião deve acontecer na tarde desta quinta-feira, 21, na sede da Assembleia Nacional Popular.

Na quarta-feira, o PAIGC, o partido mais votado das legislativas de 2019, propôs aos partidos com assento parlamentar um encontro nesse sentido.

Ontem, o coordenador do Madem-G15, Braima Camará, respondeu o convite no qual diz estar disponível para um "diálogo aberto" e a "qualquer iniciativa que vise congregar todas as partes interessadas na busca de uma solução equilibrada para a estabilidade política e governativa do país".

"Nessa perspetiva, acolhemos favoravelmente o convite que nos foi endereçado, propondo que o encontro tenha lugar em local neutro e aceite entre as partes", escreveu Camará.

No convite, feito também ao Partido da Renovação Social (PRS), Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), Partido da Nova Democracia e União para Mudança, o PAIGC afirmou que o mesmo visa procurar um consenso para formar um novo Governo inclusivo, mas liderado por ele, no sentido de realizar as grandes reformas, incluindo a revisão constitucional.

Desconhece-se se os demais partidos estarão presentes na reunião de hoje.

Recorde-se que a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (Cedeao) deu ao Presidente, por ela reconhecido, Úmaro Sissoco Embaló, um prazo até amanhã, 22, para apresentar um novo Governo, com base nos resultados das eleições legislativas de 2019.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG